Quando não somos capazes de gerenciar nossas emoções, sentimentos e atos, as consequências – que podem ser destruidoras -, são capazes de afetar várias áreas de nossas vidas. É um caminho difícil, mas conquistar a maturidade emocional está ao alcance de todos. O primeiro passo é saber identificar o que atrapalha o equilíbrio e driblar os obstáculos.

 

Maturidade inicia no nascimento

Para entender a maturidade emocional, é importante lembrar que o bebê humano nasce extremamente imaturo e dependente. E diferentemente da maioria dos animais que ficam adultos em um ou dois anos, o ser humano leva cerca de 15 anos somente para alcançar a estatura corporal adulta.

maturidade
A superação de dificuldades ao longo da vida é importante para o amadurecimento emocional. Foto: iStock, Getty Images

“E o corpo é só um dos aspectos para pensarmos em maturidade. A mente, a consciência se desenvolve durante toda a vida”, afirma a psicóloga Madalena Lauschner.

Ela ressalta que a maturidade emocional vai se formando desde o começo da vida. Espera-se que a criança, aos seis anos, seja madura para entrar na escola e dar conta das exigências que a alfabetização propõe. Isso inclui ficar bem sem a presença familiar e conseguir pensar, aprender e resolver questões complexas para a idade dela, nesse contexto.

 

No caminho em busca do amadurecimento, a entrada na adolescência traz consigo o desejo por experiências inéditas, de se experimentar longe dos pais e na companhia de amigos.

“Haverá uma grande busca por estas experiências, e cabe aos pais monitorá-las, uma vez que o senso de responsabilidade ainda não está, de todo, estabelecido. A busca da identidade própria, de sensações e paradigmas para conduzir a sua vida está se manifestando”, completa a psicóloga.

No entanto, um processo que há um tempo era natural, hoje já encontra fortes obstáculos. As famílias e a sociedade estão sempre mudando. “Atualmente, com a redução da quantidade de filhos por família, pela violência social e outros fatores, acontece um processo de superproteção aos filhos, nunca visto”, comenta Madalena.

Para ela, o aumento da escolaridade é outro fator que influencia. Os jovens estudam por mais anos e ingressam mais tarde no mercado de trabalho. Isso estimula a dependência emocional e um atraso no amadurecimento em relação a outras épocas.

“A família e a escola são importantes referenciais na construção da personalidade, assim como a sociedade como um todo com suas referências de cultura e tecnologia em constante evolução, trazendo novas necessidades e novos hábitos, positivos e negativos”, ressalta.

Sinais de maturidade emocional

Segundo a psicóloga, espera-se que o adulto  maduro tenha convicções pessoais que norteiem sua vida, que inclui a escolha de uma profissão que permita ter independência financeira e a escolha de parceria afetiva e ainda, a manutenção, o aperfeiçoamento deste status quo. “Claro, tudo isso sem fórmulas e sujeito a chuvas e trovoadas”, diz

Uma pessoa que alcançou o amadurecimento emocional precisa tolerar frustrações, suportar  dificuldades, avaliar suas possibilidades e seus limites, reconhecer seus próprios erros, avaliar e reavaliar projetos. Além disso, também aprender a não repetir os mesmos erros e se preparar melhor para as dificuldades.

É aprender e saber planejar contando que podem acontecer fatores adversos, como doenças, acidentes, mortes e ainda assim, manter o senso de responsabilidade e de direção.

“Não existe um jeito único, uma receita para chegar a maturidade e nunca estaremos prontos. Talvez  estejamos maduros quando conseguirmos seguir nosso crescimento interior, contando com as incertezas e o insólito deste mundo”, completa Madalena.

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar! 

 

É fã do Doutíssima? Acompanhe o nosso conteúdo pelo Instagram!


DEIXE UMA RESPOSTA