O treinamento autógeno é um método progressivo de aprendizagem, bastante conhecido como técnica de relaxamento. Mas alguns estudiosos afirmam que vai bem mais além disso. O foco são sujeitos independentes e inteligentes que podem identificar as necessidades de aplicar esse tipo de terapia.

Obra máxima do treinamento autógeno

O treinamento autógeno foi criado em 1930, na Alemanha, por Johannes Heinrich Schultz, psiquiatra que estudou hipnose clínica e técnicas de meditação oriental. Em seu país de origem, a prática é tão popular que é ensinada a crianças já em idade pré-escolar.

treinamento autogeno
Técnica de relaxamento baseada na autossugestão ajuda a driblar problemas do cotidiano. Foto: iStock, Getty Images

Em seu livro Das Autigene Training, considerado a obra máxima dessa terapia, o criador explica todas as fases desse método. Essa terapia consiste em uma série de frases, ou expressões, elaboradas com o objetivo de induzir a pessoa a momentos de relaxamento por meio de autossugestões.

Desse modo, a pessoa que pratica o treinamento autógeno teria controle sobre sensações de calor ou peso das extremidades do corpo, poderia regular as batidas de seu coração, proporcionar estados de tranquilidade e autoconfiança, com foco também na respiração.

Essa terapia é direcionada às extremidades, que devem ser aquecidas, e no abdômen para favorecer o processo de respiração.

A ideia é que, em sessões de aproximadamente 15 minutos, o sujeito siga um tipo de roteiro, mentalizando partes distintas de seu corpo e enviando instruções aos músculos como os dos braços e das pernas e pescoço, para que relaxem e se reoxigenem.

Estudiosos do treinamento autógeno afirmam que aquelas pessoas que se dedicam com regularidade, por períodos longos de tempo, conseguem relaxar profundamente ao se concentrar em alguma das partes de seu corpo, repetindo as expressões de autossugestão.

O método tem sido indicado para quem procura formas de driblar o estresse psicológico e buscar equilíbrio diante do corre-corre cotidiano. Assim, o controle sobre o que lhe tira o sossego e a concentração estaria mais próximo.

De acordo com especialistas, essa terapia funciona promovendo o relaxamento em um período curto de tempo porque as pessoas que se submetem a esse método se condicionam a responder as próprias orientações verbais.

Como fazer o treinamento autógeno

Talvez a maior vantagem dessa terapia seja o fato de que ela pode ser colocada em prática em qualquer lugar. Os exercícios podem ser realizados desde em casa, até no carro ou mesmo na mesa de trabalho.

O método tem sido indicado para situações de problemas de saúde de origens diversas, como faltas de ar, que podem parecer situações isoladas, mas que comprometem demais a vida do indivíduo.

As pessoas que praticam o treinamento autógeno acreditam possuir um enorme potencial de cura para si mesmos. Tudo o que precisam é aprender a abrir o caminho para deixar a mente trabalhar a seu favor.

No entanto, há quem acredite que esse tipo de terapia não traz tantos benefícios assim. Para esses, as técnicas não são benéficas porque tolhem a liberdade do corpo em responder com a chamada sabedoria interna. Seria algo como uma “blindagem” aos sentimentos e emoções que o ser humano carrega.

Mesmo diante dessas afirmações, há estudos acadêmicos que comprovam a eficácia do método. Em um texto chamado Como combater o estresse do trabalho em seis horas, a psicóloga australiana Helen Gibbons afirma que os benefícios dessa prática puderam ser observados em pacientes por meio de exames neurológicos e cardiovasculares.

Ela ainda refere-se a um estudo desenvolvido pela Nasa que apontou que esse treinamento pode melhorar a reação em situações de emergência vivenciada por pilotos.

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar! 

 

É fã do Doutíssima? Acompanhe o nosso conteúdo pelo Instagram!


DEIXE UMA RESPOSTA