Filhos > Gravidez e Filhos

Bebê embrulhadinho: cueiro ajuda a deixar o recém-nascido tranquilo

Por Redação Doutíssima 19/09/2015

O cueiro é um item que faz parte de muitos enxovais de bebê. O que algumas mães não sabem é que ele pode ser um grande aliado nos momentos em que o bebê chora sem razão ou para que tenha uma noite tranquila de sono. A técnica é enrolar o bebê com esse pano para simular o conforto uterino, sendo útil principalmente com os recém-nascidos.

cueiro 1 - doutissima - iStock

Cueiro simula o conforto uterino e ajuda a deixar o bebê mais calmo. Foto: iStock, Getty Images

 

Cueiro pode ajudar com cólicas e choro

Não há visão mais doce do que um bebê dormindo, mas quando o contrário acontece e ele chora por horas isso acaba sendo uma preocupação. Muitas vezes as técnicas comuns não funcionam, e os pais ficam sem saber o que fazer.

 

O pediatra americano Harvey Karp tem uma solução que atrai cada vez mais seguidores que procuram uma boa noite de sono para os filhos – e também para eles próprios. O autor de “O bebê mais feliz do pedaço” revela que há uma teoria para essa dificuldade de dormir: os pequenos inconsoláveis sentem falta da vida confortável no útero materno.

 

A partir dessa constatação ele desenvolveu um plano de sono com base na sabedoria antiga e na ideia de que os pais devem tentar tornar o ambiente de sono o mais semelhante possível ao útero. O primeiro passo é proteger o bebê confortavelmente em um cueiro.

 

A técnica acalma bebês porque imita a condição em que eles estavam no útero, impedindo que se virem no berço. Acima de tudo, o uso do cueiro permite que o bebê saiba que é hora de dormir.

 

No entanto, o método proposto é diferente das crenças antigas de que bastava embalar o bebê em um cobertor. É preciso também ter atenção para não apertar demais o embrulho ou tapar o rostinho, sendo que todo o cuidado é fundamental.

 

Como usar essa técnica

Um artigo na revista médica Pediatrics indica que há um caminho errado e um caminho certo para o uso. Vários estudos, incluindo um relatório no The Journal of Pediatrics, mostram que a técnica é capaz de diminuir o tempo de choro do bebê.

Alguns outros levantamentos revelam ainda que ela prolonga o sono e até mesmo reduz o risco da síndrome da morte súbita do lactente.

 

Esse artigo também revela, porém, que enrolar o bebê erroneamente é capaz de afetar o desenvolvimento do quadril, aumentando o risco de displasia. Esse é um problema relativamente comum que, se não detectado precocemente, pode levar à dor crônica na idade adulta. Em outras palavras, é preciso aprender a técnica corretamente.

 

O uso do cueiro é recomendado até os três ou quatros meses de vida do bebê, que muitos especialistas mencionam ser o quarto trimestre da gestação. Veja como fazer:

 

Passo 1

 

Coloque o pano sobre uma superfície plana em uma posição de diamante. Dobre a ponta de cima para baixo cerca 15 cm. Esse é o lugar onde irá ficar a linha dos ombros do bebê.

 

Passo 2

 

Flexione as perninhas do bebê, pegue o lado esquerdo do pano e dobre confortavelmente atrás da criança, abaixo do braço oposto. Dobre a parte inferior do pano para cima, em direção à primeira dobra. Já do lado direito, dê uma volta e prenda a ponta por baixo dos ombros do pequeno.

 

Passo 3

 

Certifique-se que o bebê está bem “embrulhado”, mas que ainda esteja confortável. Além disso, procure cuidar com o superaquecimento e não deixe o bebê muitas horas com o cueiro. O ideal é que ele identifique essa hora como um sinal que é o momento de dormir.

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar! 

 

É fã do Doutíssima? Acompanhe o nosso conteúdo pelo Instagram!


Sites parceiros