Muitas mulheres gostam quando os parceiros ejaculam em suas bocas, mas outras não conseguem sequer pensar na ideia. Um motivo é que o sabor do esperma pode variar de homem para homem, estando associado a hábitos de vida. Com boas práticas alimentares e outros cuidados, é possível melhorar e muito o seu gosto.

 

O que é o esperma

Em geral, os urologistas dizem que não é possível modificar o gosto do sêmen. Eles justificam que a composição do fluido seminal é constante porque trata-se de uma mistura exata de componentes – razão pela qual o sabor não varia.

sabor do esperma
O estilo de vida do homem é capaz de afetar a saúde do esperma e o seu sabor. Foto: iStock, Getty Images

O sêmen é composto de cerca de 96% de água e contém 10% de espermatozoides e líquido testicular, 30% de secreções da próstata e 60% de secreções das vesículas seminais. O sabor é levemente salgado, com pH alcalino.

 

Ocorre que ao contrário do que dizem muitos especialistas, há estudos que mostram que o sabor do esperma é capaz de ser modificado com alguns fatores. Porém, isso não significa que ele terá que tomar suco de abacaxi todos os dias – esse é um mito comum associado à melhora do gosto do sêmen.

 

As próprias mulheres insistem que a dieta tem reflexos no gosto do esperma. A ex-atriz americana Annie Sprinkle, que provou centenas de sêmens de homens, diz que o gosto dos vegetarianos é o melhor – e que tabagismo, álcool, carne e aspargos fazem o líquido menos palatável.

 

Dieta pode mudar o sabor do esperma?

Normalmente o esperma não tem sabor desagradável. Quando isso acontece, é sinal de que algo pode estar errado – ou então de que o homem precisa modificar seu estilo de vida.

 

Diversos estudos têm mostrado que homens que fumam, bebem e consomem muita cafeína ou são obesos apresentam menor fertilidade em razão do impacto negativo sobre a saúde do esperma. Esses fatores são capazes de modificar o pH e, assim, alterar também o sabor.

 

Uma pesquisa publicada na Fertility and Sterility observou 250 homens, avaliando amostras de esperma para determinar saúde, contagem e motilidade.

Os pesquisadores descobriram que hábitos de estilo de vida pobres, como excesso de peso, fumar ou beber diminuem consideravelmente a qualidade da saúde do esperma e reduzem as chances de uma gravidez bem-sucedida.

 

Além disso, acredita-se que a alimentação também tenha um papel importante na saúde do esperma. Um estudo publicado no The Journal of Biology and Reproduction, em 2011, concluiu que um composto encontrado em ácidos graxos ômega 3 é capaz de melhorar a morfologia espermática.

 

Um outro levantamento, também publicado na Fertility and Sterility, mostrou que homens que comem cereais integrais têm alta concentração de espermatozoides e motilidade. Ficou demonstrado ainda que frutas frescas dão ao esperma um impulso de velocidade e agilidade.

 

Há também ainda novidades que estão por vir e prometem melhorar a saúde do esperma – e assim o seu sabor. No Escritório de Patentes dos Estados Unidos, há um composto sendo desenvolvido, cujos ingredientes incluem abacaxi, banana, brócolis, aipo e morango ou cereja – todas liofilizadas –, bem como creatina, zinco, selênio e vitaminas E, B6 e B12.

 

A promessa é que essa substância seja capaz de diminuir o gosto salgado e amargo do esperma por até 24 horas. Estudos preliminares, feitos com 27 casais com estilos de vida diferentes, demonstram que houve melhora significativa no sabor do sêmen.

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!