Guia do Câncer

Dia Nacional de Combate ao Câncer: conheça os fatores de risco

Por Redação Doutíssima 27/11/2015

Hoje comemora-se o Dia Nacional de Combate ao Câncer. A data foi instituída em 1988 pelo Ministério da Saúde e, desde então, é destinada à realização de campanhas de conscientização da população. O objetivo é alertar as pessoas sobre a importância da prevenção e as formas de tratamento da doença.

O câncer é a principal causa de óbitos no mundo, matando 8 milhões de pessoas por ano, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS). Os dados também alertam para o fato de que cerca de um terço das vidas poderiam ser salvas com a detecção e o tratamento no início da doença.

Segundo a OMS, o índice de novos diagnósticos por ano no mundo deve aumentar 70% nas próximas duas décadas, passando de 14 milhões (registrados em 2012) para 22 milhões. No Brasil, a estimativa para 2015 é o registro de 576.580 novos casos da doença, conforme dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca).

Dia-Nacional-de-Combate-ao-Cancer-doutissima-istock-getty-images

Quanto mais cedo for detectado o câncer, maiores são as chances de cura e tratamento. Foto: iStock, Getty Images

Dia Nacional de Combate ao Câncer

A prevenção requer conhecimento sobre os fatores de risco que podem desencadear a doença a fim de que sejam adotadas medidas saudáveis. De acordo com a OMS, o tabaco é o principal fator de risco, pois equivale a aproximadamente 30% das mortes pela doença e a 70% do óbitos por câncer de pulmão no mundo.

Além disso, a organização aponta que um terço das mortes ocorrem devido a cinco riscos relacionados ao comportamento e à alimentação, que incluem alto índice de massa corporal, falta de atividades físicas, pouco consumo de verduras e frutas e uso de tabaco e álcool.

Diante desses fatores, toda forma de prevenção é válida. No Dia Nacional de Combate ao Câncer, aproveite para conferir algumas mudanças de hábitos que ajudam a prevenir a doença.

Não fumar é uma medida fundamental para a prevenção, já que o tabaco é um dos principais desencadeadores da doença. Vale ressaltar que, quando uma pessoa fuma em um ambiente, libera substâncias tóxicas no ar que são inaladas por todos os indivíduos. Por isso, o fumo em locais fechados é proibido.

– Mantenha uma alimentação balanceada, rica em verduras, legumes, frutas, leite e derivados e cereais integrais. Reduza o consumo de alimentos com muita gordura, fritura ou industrializados e evite bebidas alcoólicas. Controlar o peso também é essencial.

– Pratique exercícios físicos diariamente durante 30 minutos. Segundo o Inca, há diversas alternativas válidas: preferir escadas a elevadores, caminhar, dançar e varrer a casa, por exemplo.

– Faça exames preventivos com regularidade.

– Não se exponha ao sol sem proteção, principalmente entre as 10h e as 16h, para evitar câncer de pele.

Tratamentos para a doença

Com tantos estudos a respeito do câncer, a medicina avança constantemente nas formas de tratamento. Veja algumas práticas que estão se tornando comuns quando o assunto é combate ao câncer.

A imunoterapia é um dos tratamentos que ganha destaque. Trata-se de um método diferente dos tradicionais – como radioterapia e quimioterapia – pois o objetivo dos medicamentos não é afetar os tumores.

A estratégia da imunoterapia é agir sobre o sistema imunológico do paciente, para que as células de defesa do corpo possam combater as cancerígenas. O método foi considerado como o avanço do ano de 2013 pela revista americana Science.

Outro tratamento inovador é o de alvos moleculares, que tem como objetivo impedir que a molécula anormal da célula de câncer funcione – o que pode ser feito com anticorpos e moléculas, por exemplo.

Com os mesmos princípios dos alvos moleculares, porém algumas diferenças, a antiangiogênese é um tratamento visto como promissor. Por meio dele, o medicamento tem o objetivo matar a célula tumoral presente no organismo, impedindo a produção dos vasos sanguíneos, que são necessários para conceder nutrientes às células cancerígenas.

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar! 


Sites parceiros