Segundo a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, a chegada precoce do climatério ocorre antes dos 40 anos e acomete 1% das mulheres no mundo. Não existe causa determinante, mas o histórico familiar e alguns hábitos contribuem para o desenvolvimento da condição antes do tempo, com a presença de sintomas da menopausa que exigem tratamento.

Nesses casos, a mulher sofre uma série de mudanças físicas, psicológicas e sociais que podem comprometer a sua qualidade de vida. Ou seja, é importante buscar acompanhamento médico e adotar métodos que ajudam a aliviar o quadro e evitar complicações para a saúde.

É possível ter menopausa aos 35?

A menopausa indica o fim da fase reprodutiva da mulher, que representa a perda da função regular dos ovários. O corpo deixa de produzir hormônios sexuais femininos, como o estrogênio, não havendo mais ovulação e nem menstruação.

Normalmente, a fase chega por volta dos 50 anos de idade, mas existem casos em que acontece mais cedo. É a chamada menopausa precoce, sendo possível ocorrer até mesmo antes dos 35 anos de idade. Ela não é considerada um distúrbio hormonal, pois ocorre devido à falência ovariana em uma mulher jovem.

A falência ovariana prematura (FOP) é a perda temporária ou definitiva da produção de hormônios, que acontece após a menarca e antes dos 40 anos de idade. As causas para o surgimento do problema não são específicas, mas uma série de fatores contribuem.

Segundo o ginecologista e obstetra Domingos Mantelli fatores hereditários, distúrbios hormonais ou cirúrgicos são os principais envolvidos. Além disso, os sintomas da menopausa também podem ser antecipados com a remoção dos ovários  ou de grande parte deles – e com tratamentos contra o câncer.

Como a radioterapia e a quimioterapia têm como objetivo impedir o crescimento celular, elas acabam atingindo não só as células malignas, mas as que estão sadias também, o que pode dar origem ao quadro.

Algumas doenças genéticas que provocam distúrbios ovarianos também são fatores de risco, como alterações do cromossomo X, que podem provocar a falência prematura dos ovários.

sintomas da menopausa
O acompanhamento médico é fundamental para aliviar e controlar os sintomas. Foto: iStock, Getty Images

Sintomas da menopausa precoce

A menopausa é caracterizada principalmente pela ausência da menstruação por um ano ou mais. Mantelli explica que os sintomas da menopausa precoce são os mesmos da condição em tempo normal: calor (fogacho), suor noturno, ressecamento vaginal, inchaço e irritabilidade.

As ondas de calor são o sinal mas comum, atingindo 80% das mulheres e aparecendo subitamente. Duram de cinco a 30 minutos, acompanhadas de suor intenso e desconforto. Outros sintomas da menopausa são a diminuição da libido, incontinência urinária, dores de cabeça, alterações na pele e nos cabelos, insônia, cansaço e perda de memória.

Aumento de peso, perda de força muscular, perda de massa óssea (com decorrente risco de osteoporose), nervosismo, alterações do humor, tensão, ansiedade e depressão também costumam entrar na lista.

O ginecologista e obstetra aponta ainda que as possíveis complicações mais comuns são diabetes, aumento do colesterol e gordura. Para tratar e aliviar os sintomas da menopausa é indicado recorrer à Terapia de Reposição Hormonal, que também ajuda a evitar o desenvolvimento de problemas comuns nessa fase, como doenças cardíacas e osteoporose.

E você, já começou a sentir os sintomas da menopausa? Ainda ficou com alguma dúvida? Deixe o seu comentário! Também aproveite para conhecer o Fórum de Discussão Doutíssima e debater sobre os mais variados assuntos! Clique aqui para se cadastrar!