[the_ad_group id="16403"]
Especialidades

Trombose venosa cerebral pode se manifestar por uma simples dor de cabeça. Saiba mais!

Por Redação Doutíssima 20/09/2014

A trombose venosa cerebral (TVC) é um tipo de acidente vascular cerebral que acontece quando um coágulo de sangue entope uma das veias do cérebro, impedindo a circulação de sangue e a perfeita oxigenação do sistema cerebral.

trombose-venosa-cerebral

Diagnóstico da trombose venosa cerebral é obtido por meio de exames de imagem. Foto: Shutterstock

Como ocorre a trombose venosa cerebral

É importante entender que dois sistemas compõem a vascularização intracraniana: o sistema arterial e o sistema venoso. O cérebro depende igualmente dos dois sistemas para ser abastecido com glicose e oxigênio.

O sistema venoso – afetado pela doença – é responsável pela drenagem do sangue, permitindo a entrada de mais sangue pelas artérias e impedindo que o cérebro fique congestionado.

Quando uma trombose venosa cerebral ocorre, o sangue continua a chegar ao cérebro, mas encontra dificuldade em sair, congestionando o fluxo sanguíneo na rede capilar. Com isso, o tecido cerebral da região afetada deixa de ser irrigado corretamente.

Como as artérias continuam desobstruídas, o suprimento sanguíneo na região não é interrompido, o que ocasiona o extravasamento de sangue no leito vascular.

Ao contrário do que se poderia supor, a doença é rara e corresponde a menos de de 2% dos casos de AVCs. A grande maioria está relacionada a acidentes do sistema arterial, e não venoso: o popular infarto.

Sintomas da trombose venosa cerebral

Os sintomas da doença podem ser inespecíficos e típicos de qualquer AVC:

Dor de cabeça (presente por vários dias)

– Alteração de comportamento

– Alteração da visão

– Sensação de pulsar do coração dentro da cabeça

– Náuseas

– Vômitos

– Febre

– Alteração do nível de consciência

– Crise convulsiva

Doença de difícil diagnóstico

O tratamento da doença é baseado na combinação de heparina intravenosa e anticoagulação oral. O uso de anticonvulsivantes, analgésicos e a redução do aumento da pressão intracraniana também podem ser medidas adotadas no tratamento.

O grande problema da trombose venosa cerebral é justamente os sintomas inespecíficos que acometem o paciente. Essa situação acaba retardando o diagnóstico, que é absolutamente crucial para o início do tratamento e está diretamente relacionado à chance de reversão do processo de trombose.

Apenas por meio de um diagnóstico veloz e de um tratamento imediato é possível reduzir complicações e sequelas, já que a doença pode causar danos irreversíveis no cérebro. Estudos recentes mostram que a taxa de mortalidade da doença varia entre 5% e 15%.

O diagnóstico é obtido por meio de exames de imagem. É papel do médico suspeitar da trombose venosa cerebral e solicitar os exames de imagem para a avaliação cerebral e do sistema vascular. A tomografia computadorizada e a ressonância magnética são métodos de imagem que permitem analisar tanto o sistema vascular encefálico como as outras estruturas intracranianas relacionadas.

Causas da doença nem sempre são claras

A trombose venosa cerebral é mais comum em mulheres jovens e se dá por alteração na coagulação sanguínea. Uma série de causas podem desencadeá-la: uso de anticoncepcional oral, distúrbios congênitos, infecções em regiões próximas às veias do cérebro (sinusites, mastoidites, otites), doenças reumatológicas ou sanguíneas e tumores. A causa, no entanto, não é encontrada em cerca de 25% dos casos, segundo alguns estudos.

 

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!


[the_ad_group id="16349"]
[the_ad_group id="16404"]