[the_ad_group id="16401"]
Amor e Sexo > Relacionamento

Como evitar brigas no relacionamento por causa de problemas financeiros?

Por Francine Costanti 18/03/2019

Problemas financeiros estão entre os principais motivos de conflito entre casais. Muitas vezes isso acontece por falta de informações exatas sobre os ganhos e gastos de cada um na relação. Em outros casos, os sonhos e objetivos de cada parceiro são diferentes, o que pode gerar desencontros e decepções.

Consultamos Fabiana Luciano, psicóloga e membro da Sociedade Brasileira de Coaching, para esclarecer as causas e soluções para esse tipo de conflito. Veja as suas dicas a seguir.

Planejamento da economia doméstica

As finanças são uma parte muito importante na vida de um casal que mora junto, por isso é essencial planejar como a economia doméstica vai ser tratada. “Um dos dois pode assumir determinadas contas ou os dois fazem uma divisão. O importante é que, antes de dividir um lar, o casal saiba exatamente qual é o orçamento, quanto cada um ganha e o quanto podem dispor para conseguir cumprir com as demandas financeiras. Isso evita que alguém se sinta sobrecarregado”, aconselha.

Casal jovem discute relacionamento

Antes de decidir morar junto o casal deve saber exatamente o quanto vai gastar com as dívidas da casa. Foto: iStock

Evitando que problemas financeiros afetem o relacionamento

Fabíola explica que, se uma das partes perceber que a questão financeira está sendo um problema, a melhor maneira de lidar com isso é tendo uma conversa franca e aberta. “Se estão casados, pressupõe-se que exista maturidade para discutir esse tipo de assunto, porque isso faz parte do casamento. Sempre que perceber que há conflitos, mapeie o que está incomodando e chame seu parceiro para que vocês dois pensem juntos em possíveis soluções”.

Evite que a falta de dinheiro afete seu casamento

Um dos dois ficou desempregado. E agora?

A psicóloga orienta que, nesse caso, é importante para o casal revisar todas as contas, entender quanto gastam por mês, o que podem cortar para diminuir o orçamento atual e analisar se o salário daquele que está empregado consegue arcar com as dívidas da casa. “Nesse momento, o ideal é que o casal se una e evite brigas, porque todos estamos sujeitos a isso. O planejamento é fundamental até que a outra pessoa se recoloque no mercado. É importante que os dois estejam cientes de que essa situação é só uma fase, não vai durar para sempre”.

dólar doutíssima istock getty images casal com documentos

Se um dos dois ficar desempregado, o ideal é que o casal revise as contas e consiga diminuir os gastos. Foto: iStock

Conta conjunta funciona?

“É muito relativo, porque cada casal estabelece sua forma de lidar com as finanças. Existem aqueles que criam uma conta conjunta e passam a dividir tudo, o que pode dar certo. Por outro lado, esses mesmos casais podem começar a se controlar muito e vigiar os gastos do parceiro. Por isso, deve-se entender a estrutura da relação, a dinâmica do casal e perceber se há maturidade suficiente. Outra alternativa são aqueles que mantêm conta conjunta, com a qual dividem os gastos, mas ao mesmo tempo possuem contas pessoais. A única regra é ver o que funciona para os dois”, explica.

Como entrar em harmonia novamente

A dica de Fabíola é sempre manter o diálogo aberto sobre as questões financeiras. “Não deixe virar uma bola de neve – se está te incomodando, converse! Quando houver um conflito, não tenha medo de reavaliar a forma como as coisas estão sendo feitas”.

Além disso, criem planos de médio e longo prazo em conjunto! Ter sonhos em comum estimula o bom comportamento financeiro do casal, e seguir um planejamento que os ajude a caminhar para o mesmo objetivo fortalece a união.

Estudo investiga como questões financeiras impactam nos relacionamentos


[the_ad id="14710899"]
[the_ad id="14710899"]