[the_ad_group id="16401"]
Saúde Mental

Extrema tristeza pode ser um dos sintomas da depressão – entenda a doença

Por Redação Doutíssima 07/06/2014

Viver momentos de tristeza e de desânimo é algo que ocorre com todo mundo. Essa tristeza pode durar algumas horas ou dias e, mesmo assim, pode não se caracterizar como um dos sintomas da depressão.

No entanto, em alguns casos, este sentimento pode persistir por vários meses. Quando a sensação de vazio custa a desaparecer e, por isso, atrapalha as atividades habituais, tirando o prazer de viver, pode se tornar um problema. Este desgosto permanente é um dos principais sintomas da depressão.

sintomas da depressão

Sensação de vazio e momentos de tristeza são sintomas comuns da depressão. Foto: Shutterstock

Entenda os sintomas da depressão

A depressão é uma doença que pode se manifestar de maneiras diferentes e com gravidades distintas. Geralmente, os sintomas da depressão leve não exigem que a pessoa seja submetida a algum tipo de tratamento.

Por outro lado, quem enfrenta os sintomas da depressão grave, dificilmente consegue vencê-la sem o auxílio médico especializado. Dependendo dos seus fatores desencadeantes, eles podem necessitar de ajuda profissional para tratar o problema.

Há vários tipos de depressão, sendo que a mais comum é a chamada depressão maior. Ela é caracterizada por uma combinação de sintomas da depressão que interferem na capacidade do indivíduo de se relacionar com outros, trabalhar, dormir, estudar, comer e desfrutar atividades que, anteriormente, eram consideradas agradáveis de se fazer.

Além da tristeza e da perda de do interesse nas atividades diárias, os sintomas da depressão maior também se caracteriza pela insônia ou sono excessivo, agitação ou letargia, fadiga ou falta de energia, sentimento de culpa ou inutilidade, incapacidade de concentração e indecisão, alteração significativa de apetite e de peso e pensamentos recorrentes sobre morte ou suicídio.

Para se enquadrar neste grupo, a pessoa deve apresentar os sintomas da depressão por mais de duas semanas consecutivas. A depressão maior é uma doença recorrente. Estima-se que 40% dos indivíduos sofram uma nova crise depressiva nos dois primeiros anos após o primeiro episódio.

Distimia

Uma forma mais branda de depressão é a distimia. No entanto, ela é mais prolongada, permanecendo no indivíduo por pelo menos dois anos. O humor depressivo na distimia está presente durante a maior parte do dia, se mantendo assim por vários dias ao longo do mês, chegando ao ponto da pessoa passar mais dias com humor deprimido do que com humor normal.

A distimia costuma ser diagnosticada quando o indivíduo apresenta como sintomas da depressão sensação de tristeza prolongada, apetite diminuído ou aumentado, insônia ou excesso de sono, baixa autoestima, falta de energia, dificuldade de concentração, desânimo ou ausência de perspectiva de vida.

Outro tipo de manifestação da depressão é provocado por um transtorno de adaptação. Ou seja, quando há um episódio de estresse emocional identificável, como o término de uma relação, pressões diárias da vida ou do trabalho. A depressão reativa é um distúrbio que provoca ansiedade e humor deprimido. Dependendo do grau emocional da depressão reativa, ela pode se tornar um quadro de depressão maior.

Tratamento

Quem sofre com algum quadro de depressão prolongada, ou apresenta algum sinal de depressão extrema, deve procurar ajuda médica. O tratamento da depressão é essencialmente medicamentoso e, ao contrário do que se pensa, as medicações não tornam a pessoa eufórica ou provocam o seu vício.

No entanto, em alguns casos, os pacientes precisarão tomar remédios durante anos ou pela vida toda, visando prevenir a recorrência. Nestes casos, o acompanhamento psicológico é fundamental para o sucesso do tratamento.

 

 

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!

 

 

Saiba mais:

Atenção: mesmo os distúrbios leves de sono podem causar depressão

Pode ser a cura para a depressão? Rezar e meditar ajudam na luta contra a depressão, dizem especialistas

Entenda a relação entre alergia e depressão

Drogas e depressão: saiba como evitar a mistura fatal que matou Kurt Cobain

A dependência da nicotina leva à depressão e aumenta o risco de suicídio

Como lidar com a depressão no tratamento contra o câncer

Terapia contra a depressão pós parto funciona, diz estudo com mães de baixa renda


[the_ad id="14710899"]
[the_ad id="14710899"]
[the_ad_group id="16404"]