Especialidades

Veja como identificar e acabar com a prisão de ventre

Por Redação Doutíssima 24/10/2014

A prisão de ventre, também conhecida como constipação, é uma das situações mais comuns – e desagradáveis – a que estamos sujeitos no dia a dia. Clinicamente, sofre do problema quem não consegue evacuar mais de três vezes por semana.

prisao-de-ventre

Problema é comum e causa muito desconforto em quem sofre. Foto: iStock, Getty Images

É comum que a prisão de ventre esteja associada a fezes duras ou dificuldade para ir aos pés. Você pode sentir dor ou ser incapaz de evacuar depois de tentar e de fazer esforço por mais de 10 minutos. Em casos de bebês alimentados de forma exclusiva por leite materno, é a constipação pode os deixar até uma semana sofrendo do mal.

 

Entre as causas mais comuns, é possível destacar uma dieta com poucas fibras, a não ingestão de água o suficiente, falta de atividade física e ainda a demora para ir ao banheiro quando se tem vontade. Além disso, estresse e viagens também podem contribuir para o problema.

 

Prisão de ventre pode sinalizar doenças graves

 

E o incômodo causado pela prisão de ventre não é o único ponto ruim dessa condição: a constipação pode ser, também, um sintoma de doenças graves como o câncer de cólon, síndrome do intestino irritável, hipotireoidismo, distúrbios mentais e distúrbios neurológicos – além de poder indicar gravidez.

 

A prevenção pode ser feita por meio de pequenas mudanças de hábito. Se você quer evitar desconfortos, a melhor dica possível é praticar exercícios: isso libera adrenalina, que estimula o funcionamento do intestino. Qualquer atividade física vale a pena, até mesmo uma simples caminhada na praça perto de casa.

 

Mas não adianta nada suar a camisa apenas no final de semana. O recomendado é que seja feito algum tipo de exercício ao menos três vezes por semana.

 

Fibras ajudam a combater prisão de ventre

 

Além da prática de exercícios, é recomendado ter uma dieta rica em fibras – elas agem como laxante natural. As fibras estão presentes principalmente nas verduras com talo, folhas verdes e cereais integrais, como aveia, centeio, trigo, farelo de trigo e gérmen de trigo.

 

Por isso, sempre que possível, acrescente à sua alimentação esses ingredientes e outros alimentos ricos em fibras, como a granola, o pão e o arroz integral. Invista também nas frutas.

 

E não pense que apenas a alimentação é importante para casos de prisão de ventre. Beba cerca de 2 litros de água por dia. O líquido hidrata a fibra, que aumenta de tamanho e distende o intestino, estimulando sua contração e favorecendo o seu funcionamento.

 

Também é recomendado aderir a uma rotina diária. Para isso, estabeleça um horário para ir ao banheiro e encare isso como um compromisso a ser cumprido. Escolha um momento tranquilo – a pressa é inimiga nessas horas, pois impede você de relaxar.

 

E toda vez que sentir vontade de ir ao banheiro, vá. Se não atender aos reflexos do seu organismo, o quadro pode se agravar.

 

Nunca esqueça que estresse e depressão também podem causar prisão de ventre: o movimento intestinal está relacionado ao sistema nervoso, e fatores psicológicos podem afetar o funcionamento da região. Por isso, procure manter a calma e o bom humor e busque atividades relaxantes, como a ioga e meditação.

 

 


Sites parceiros