Sexualidade

Veja mitos e verdades sobre o uso do Viagra no sexo

Por Redação Doutíssima 30/10/2014

Há 16 anos o Viagra foi lançado para ajudar os homens que sofrem de disfunção erétil e mudou o mundo das vítimas de impotência sexual. Ainda hoje, porém, há muitos mitos entre as verdades sobre o uso da medicação. Veja o que já foi comprovado e o que não passa de lenda sobre a medicação.

viagra

Remédio que combate a impotência é cercado de mistérios. Foto: iStock, Getty Images

O que é fato comprovado sobre o Viagra

 

Entre as verdades sobre o uso do Viagra, é possível destacar que pacientes com problemas cardiovasculares podem usar o remédio sem problemas. Portadores de insuficiência cardíaca, pressão alta e outras doenças do coração podem fazer uso do medicamento, desde que prescrito pelo médico.

 

Além disso, é igualmente verdade que pacientes que usam remédios à base de nitrato não podem tomar medicamento para tratar a impotência. Os nitratos são utilizados por pessoas que tiveram infarto ou angina, e seu uso com comprimidos para disfunção erétil pode resultar em complicações graves.

 

Outro fato comprovado diz respeito à duração dos efeitos do remédio: entre 4 e 6 horas, o que é adequado para o perfil de hábitos sexuais de muitos casais. No entanto, o princípio ativo do remédio pode ter efeito de até 12 horas para um grande número de pessoas com disfunção erétil.

 

Também é verdade que o remédio funciona para todos os graus de disfunção erétil, sendo eficaz desde casos leves até os mais complexos, e apresenta boa eficácia independente da causa do problema – seja orgânico ou psicológico.

 

Outra verdade em relação ao tratamento é que o Viagra não foi inicialmente desenvolvido para tratar de impotência, e sim para angina (baixo abastecimento de oxigênio ao músculo cardíaco). Durante os primeiros estudos, esses pacientes relataram um “curioso efeito colateral”, que era a ereção quando havia estímulo sexual.

 

Viagra e suas lendas

 

Entre os mitos sobre o Viagra, um dos mais comentados é o de que o remédio precisa ser tomado uma hora antes das refeições ou logo após comer. Não há nenhuma mudança na eficácia da medicação com relação à alimentação.

 

É mito também que o uso juntamente com álcool tem ação retardada. Estudos realizados com homens que beberam uma garrafa de vinho mostraram que não existe interação entre álcool e o remédio. E vale lembrar: o laboratório que produz o medicamento não recomenda o uso conjunto.

 

Engana-se quem acha que o Viagra perde o efeito com o tempo a longo prazo. Estudos mostraram que, mesmo após anos de tratamento, a ação do medicamento não foi alterada. Além disso, não existem problemas relacionados ao uso frequente do medicamento – a segurança da utilização a longo prazo já foi comprovada.

 

Por fim, é mito afirmar que pessoas com mais de 70 anos não podem tomar a pílula azul. A verdade é que não existe idade máxima para o uso de Viagra. Todo homem pode utilizar o medicamento para melhorar seu desempenho sexual, desde que seja avaliado previamente pelo médico.

 

 


Sites parceiros