Dieta

Dieta sem trigo: o que você precisa saber para adotá-la

Por Redação Doutíssima 12/11/2014

O trigo que ingerimos hoje não é o mesmo que fazia parte da alimentação dos nossos antepassados. As plantações mudaram bastante com o avanço da ciência agrícola, para deixar a planta mais resistente e aumentar a sua produtividade, fazendo isso através de alterações genéticas.

O problema é que essa mudança na estrutura da proteína influencia nossa saúde. Ingerir uma quantidade muito grande dessa substância provoca aumento de peso e alguns tipos de doenças cardíacas, diabetes, artrite, problemas de pele (acne), urticárias e até câncer. Por isso, há muita gente que vem adotando a dieta sem trigo.

dieta-sem-trigo

Deixar o trigo de lado pode ter resultados surpreendentes na saúde. Foto: iStock, Getty Images

Cereais deixados de lado na dieta sem trigo

Os principais alimentos que contém trigo são: cereais matinais, farelo de trigo, pão, croissants, bolos, bolachas doces ou salgadas, massas, rissóis, croquetes, pizzas, quiches, waffles, alimentos fritos cobertos com farinha de trigo, molhos e condimentos como o molho de soja.

Alimentos que levam farinha para engrossar e refeições pré-preparadas e embaladas também são baseadas em trigo. Por isso, adotar a dieta sem trigo parece uma tarefa bem difícil, já que ele está presente em quase todos os alimentos que consumimos diariamente.

Um grande problema dessa proteína é que ela aumenta o apetite, proporcionando o aumento de peso. O trigo eleva o nível de glicose repetidas vezes ao longo de períodos constantes, o que propicia o acúmulo de gordura, principalmente no abdômen.

Nos homens, esse efeito também acontece nas mamas, que ficam maiores à medida que mais estrogênio é produzido pelo tecido adiposo.

Para se ter ideia da importância da dieta sem trigo: duas fatias de pão integral contêm uma grande porcentagem de trigo. Ingerir essas duas fatias aumenta mais a taxa de glicose no sangue do que duas colheres de sopa de açúcar branco.

Assim, a proposta da dieta sem trigo é eliminar essa proteína de vez da alimentação. Você pode substituir os alimentos por comidas mais naturais, que sejam feitas de frutas, verduras, legumes e carnes leves.

É claro que no início eliminar o cereal de forma abrupta da alimentação vai causar o que parece uma dependência insuperável. Mas tudo é questão de costume.

Dieta sem trigo exige cuidados

É necessário ter cuidado para mudar a alimentação. Não basta simplesmente aderir à dieta sem trigo: é necessário que sejam feitas substituições, tirando os alimentos que contém trigo da alimentação e acrescentando outros no lugar.

Por isso, a importância de se consultar um nutricionista é grande. Ele é o especialista que vai indicar quais alimentos consumir na substituição do trigo.

O nosso corpo precisa de equilíbrio. Todos os alimentos devem ser consumidos na medida certa. Se ficar muito difícil excluir de vez o trigo da alimentação, comece apenas diminuindo o seu consumo.

Isso já é um jeito de reduzir os malefícios do cereal. O que não adianta é parar de consumir um monte de alimentos e acabar tendo uma dieta pobre e homogeneizada.

 

 


Sites parceiros