Exercícios

Conheça o treinamento com corda naval e veja como adotar

Por Redação Doutíssima 26/11/2014

Uma boa opção para quem está buscando a forma física ideal, mas está cansada das atividades tradicionais das academias, é o treinamento com corda naval. A corda é utilizada há muito tempo em atividades para condicionamento físico, melhora cardiorrespiratória e queima de calorias. Por seus muitos benefícios, é muito utilizada por atletas de alta performance, como os lutadores de MMA e tenistas.

 

treinamento-com-corda-naval

Alto gasto calórico é um destaques do treino que utiliza a corda naval. Foto: iStock, Getty Images

Como é o treinamento com corda naval

 

O treinamento com corda naval ou rope training é daqueles exercícios sem cara de treino. Apesar de empregar bastante força, parece mais uma brincadeira. A vantagem é que é muito simples e pode ser feito em espaços não tão grandes, inclusive pode ser parte das séries de atividades funcionais.

 

O treino consiste na prática de alguns exercícios usando cordas navais, aquelas utilizadas para segurar os barcos nos portos. É uma técnica ainda nova no Brasil, mas tem sido muito bem recebida nos locais onde já é aplicada.

 

A simplicidade do treinamento com corda naval não corresponde ao número de benefícios que a sua prática promove. Apesar da força feita com os braços, o exercício trabalha os músculos de todo o corpo.

 

E aí vem a melhor parte: em apenas 20 minutos de treinamento com corda naval dá para perder até 500 calorias! Esse tipo de prática física com corda é sempre de curta duração, pois são feitos com bastante intensidade.

 

A corda utilizada geralmente tem entre nove e 15 metros de comprimento e até 5 centímetros de espessura. Quando mais longa e mais espessa, maior é o peso da corda. Para a realização do exercício o aluno segura as extremidade da corda, uma em cada mão. A outra ponta está amarrada em algo, como um poste, viga ou pilastra.

 

O principal objetivo está em realizar movimentos ondulatórios contínuos com a corda, mas não necessariamente os mesmos. Há uma grande opção de movimentos diagonais, verticais, horizontais, baixos, altos, acompanhados de agachamentos e subidas.

 

Como já mencionado, os movimentos são constantes e intensos para promover o grande gasto calórico. A explosão e força são necessárias para controlar os movimentos da corda e beneficiam integradamente todo o corpo, inclusive a postura do praticante.

 

Como fazer o treinamento com corda naval

 

Uma dica de treino simples é segurar as pontas da corda com o tronco voltado para à frente e os braços flexionados em cerca de 90 graus. Os joelhos também devem estar flexionados e os pés afastados, na altura dos quadris.

 

Para realizar o movimento ondulatório, erga os braços na altura da cabeça e retorne à posição original. A corda deve ondular e bater no chão. Faça três séries rápidas com 12 repetições.

 

A evolução no treinamento com corda naval é gradativa, mas constante. Após ganhar mais coordenação, precisão, mais agilidade e explosão, novos movimentos são acrescentados, aumentando a dificuldade da série.

 

A vantagem é não se tornar uma aula chata ou repetitiva. Mas praticar essa técnica exige cuidados e orientação adequada de um profissional. A execução incorreta dos exercícios pode causar lesões na coluna e dores diversas. Não é um exercício indicado para pessoas que sofrem de problemas cardíacos, diabetes ou hipertensão.

 

 

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão Doutíssima!


Sites parceiros