Clínica Geral

Botulismo: veja como tratar e como evitar essa doença

Por Redação Doutíssima 01/12/2014

Mais do que uma intoxicação alimentar, o botulismo é uma doença que pode deixar sequelas neurológicas graves e até levar à morte. Provocado pela bactéria Clostridium botulinum, o botulismo pode ocorrer de três formas: alimentar, lactente e de feridas.

 

O mais frequente é o envenenamento decorrente de consumo de alimentos contaminados pelo microorganismo, que tem predileção por locais com pouco ou nenhum oxigênio. Desse modo, as comidas enlatadas ou em vidros, e ainda os produtos embalados a vácuo tendem a ser os mais propensos ao desenvolvimento da bactéria.

botulismo

Enfermidade pode deixar graves sequelas e levar até à morte. Foto: iStock, Getty Images

Da mesma forma, os preparados caseiros mantidos em conserva, os embutidos (presuntos curados), carne de porco, peixes e frutos do mar, mel e xarope de milho devem receber ainda mais atenção. A Clostridium botulinum pode ser encontrado também na água e no solo.

 

Provavelmente em decorrência do contato com água contaminada, algumas crianças são afetadas por botulismo lactente, ainda nos primeiros meses de vida. A exposição de bebês à bactéria pode resultar em problemas que vão desde manifestações gastrointestinais à síndrome da morte súbita.

 

A terceira via de contágio por botulismo são os ferimentos (lesões traumáticas ou cirúrgicas), que de alguma forma podem ser infectados pela bactéria. O uso de drogas injetáveis é mais um fator de risco decorrente de feridas, já que ao perfurar o corpo, abre-se uma via de acesso ao agente.

 

O botulismo pode provocar paralisia muscular

 

O botulismo é uma enfermidade que atinge diretamente o sistema nervoso central, podendo provocar paralisia muscular. O tempo de incubação da bactéria no organismo varia de oito a 36 horas após o contato.

 

Os principais sintomas associados a este tipo de envenenamento são: visão dupla ou embaçada, aversão à luz (fotofobia), queda da pálpebra (ptose palpebral), tonturas, boca seca, intestino preso e dificuldade em urinar. A evolução do botulismo afeta progressivamente o sistema nervoso – é quando o doente passa a apresentar problemas para engolir, falar e se movimentar. Ainda assim, a mais grave de todas as manifestações do botulismo é a paralisia dos músculos respiratórios, que pode ser letal.

 

Em adultos, os primeiros sintomas da enfermidade são: cólicas, falta de ar, problemas para falar, visão comprometida, vômito e fraqueza. Em crianças, a doença pode mostrar-se através de baba em excesso, choro enfraquecido e respiração dificultada.

 

O tratamento exige internação hospitalar já que se trata de uma intoxicação altamente fatal. A recuperação do paciente é em geral lenta. A medicação utilizada consiste em soro antibotulínico e antibióticos.

 

Prevenção ao botulismo

 

Dentre as formas de prevenção podemos observar:

 

1. Latas enferrujadas

 

Não consumir alimentos acondicionados se perceber qualquer anormalidade na embalagem, o que inclui latas enferrujadas ou estufadas ou água turva dentro de vidros (sobretudo de palmitos).

 

2. Higiene

 

Quando preparar conservas caseiras, redobrar os cuidados com a higiene, minimizando, assim, as chances de contaminação pelo Clostridium.

 

3. Ferver os produtos

 

Sempre ferver os produtos enlatados ou em conserva antes de abri-los. Dessa forma, impede-se que eventuais toxinas liberadas pela bactéria se espalhem.

 

4. Atenção com o mel

 

O mel é um dos itens mais procurados pela bactéria Clostridium botulinum. Procure consumir apenas os fabricados por empresas idôneas.

 

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão Doutíssima!


Sites parceiros