[the_ad_group id="16401"]
Clínica Geral

Rotavírus é principal causa de diarreia em crianças

Por Redação Doutíssima 14/12/2014

Considerado a principal causa de diarreia em crianças menores de 5 anos, o rotavírus é responsável pela morte de cerca de 600 mil crianças por ano em todo o mundo. O tratamento é bastante simples, baseado na reidratação do paciente.

 

Apesar disso, a infecção varia de um quadro leve, com diarreia líquida e duração limitada a quadros graves com desidratação, febre e vômitos, podendo ocorrer também casos assintomáticos.

 

rotavírus

De tratamento relativamente simples, doença pode evoluir. Foto: iStock, Getty Images

 

Rotavírus contamina no primeiro ano de vida

 

Sua principal via de transmissão se dá pela via fecal-oral, água ou alimentos, contato pessoa-a-pessoa, objetos contaminados e, também, por secreções respiratórias, mecanismos que permitem uma alta capacidade de alastramento dessa doença.

 

Todas as crianças acabam se contaminando com o rotavírus nos primeiros anos de vida, sendo que o vírus acaba sendo eliminado em grande quantidade nas fezes do doente. No entanto, os casos graves da doença costumam ocorrer principalmente em crianças até dois anos de idade.

 

Além disto, crianças prematuras, de baixo nível sócio-econômico ou com deficiência imunológica estão mais sujeitas a desenvolver um quadro mais grave da doença.

 

As crianças geralmente se infectam com o rotavírus ao levar a mão suja à boca, por contato direto com pessoas, ou ainda por água, alimentos e objetos contaminados.

 

Como existem vários tipos desta infecção, a criança pode desenvolver a doença mais de uma vez. No entanto, é realmente a primeira infecção que costuma ser a mais grave.

 

Apesar de adultos também poderem contrair o rotavírus, ela normalmente se desenvolve de forma mais branda. A propagação do vírus costuma ser maior no inverno porque o vírus se espalha mais facilmente no ambiente seco.

 

Como a infecção por rotavírus pode ser assintomática, nem sempre ela causa sintomas no paciente. Quando há sintomas, geralmente, as manifestações costumam aparecer, em média, dentro de três dias depois da contaminação, podendo variar de leve a grave.

 

O tempo de duração dos sintomas costuma durante em torno de uma semana. Caso não seja devidamente tratada, a infecção pode levar o indivíduo à morte.

 

Não existe remédio contra rotavírus

 

Apesar de não existir medicamentos específicos para combater a infecção por rotavírus, a doença pode ser facilmente controlada. Para isto, o paciente deve ingerir muito líquido. Para evitar a desidratação, que é o sintoma mais grave das infecções intestinais, outra medida simples é fazer uso de soro caseiro.  

 

Os quadros leves podem ser tratados em casa, com soro caseiro, muito líquido e alimentação normal, especialmente se for leite materno, mas sempre respeitando a orientação médica. Os quadros graves exigem internação hospitalar.

 

A melhor medida continua sendo a prevenção, mesmo sendo mais difícil prevenir a rotavirose entre crianças. É preciso manter condições adequadas de higiene e ensinar as crianças, desde cedo, sobre a importância de lavar as mãos, principalmente, depois de ir ao banheiro e antes das refeições.

 

Outro aspecto importante é a amamentação dos bebês. Manter a amamentação até, pelo menos, os seis meses de vida delas, irá fornecer à criança defesas imunológicas não só contra o rotavírus, mas também contra outras doenças.

 

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão Doutíssima!


[the_ad id="14710899"]
[the_ad id="14710899"]
[the_ad_group id="16404"]