O iogurte grego invadiu as prateleiras de muitos estabelecimentos e a rotina de diversas pessoas nos últimos anos. No entanto, para manter a saúde em dia e aproveitar os benefícios desse alimento, é preciso saber se ele realmente é melhor que outros tipos de derivados do leite. Além disso, é importante prestar atenção em certas informações antes de consumi-lo.

 

O que é o iogurte grego

A nutricionista e professora universitária Jureci Siqueira Machado explica que o iogurte grego é semelhante a qualquer outro, porém conta com uma consistência mais cremosa do que os demais. Algumas marcas oferecem um produto bem mais firme, podendo até ser cortado com faca ou usado para passar no pão.

iogurte grego
Iogurte com consistência mais cremosa pode ser consumido com cereais e frutas. Foto: iStock, Getty Images

Ela ainda menciona que esse produto contém uma quantidade maior de proteínas, o que auxilia na saciedade e estimula a renovação muscular e o metabolismo.

“Foi trazido para o Brasil porque os gregos costumam incluir no seu cardápio um iogurte mais denso com uma carga de proteína maior. Esse item é consumido particularmente como item essencial do desjejum associado a frutas, mel e cereais”, afirma a nutricionista.

Iogurte grego nem sempre é mais saudável

A lista de ingredientes é um aspecto importante na hora de avaliar se o produto é mais saudável. Jureci comenta que algumas marcas fazem o iogurte com leite integral, com gelatina e/ou com fibras de colágeno. Atenção a esses ingredientes.

“Para ser considerado mais saudável, o alimento não deve ter na composição produtos ligantes, como a gelatina, amido e colágeno, entre outros. A fórmula deve ter apenas leite e culturas bacterianas” recomenda a especialista.

O iogurte deve conter uma bactéria conhecida como acidophillus, que tem inúmeros benefícios para a saúde, incluindo o trato digestivo e sistema reprodutor.

A dica da nutricionista é bem clara: “se você está especialmente interessado em obter acidophillus em sua dieta, certifique-se de ler o rótulo do seu iogurte cuidadosamente. As melhores marcas tipicamente dizem claramente no rótulo que o produto contém acidophillus vivas, e por isso devem ser refrigeradas imediatamente”, diz.

Há apenas um outro aspecto a ser cuidado no consumo do iogurte. Jureci informa que todo produto lácteo que for elaborado a partir de leite integral deve ser consumido com moderação para evitar o excesso de gordura saturada na dieta.

Iogurte na dieta

Além da quantidade de gordura consumida, quem quer manter uma dieta precisa estar sempre atento às calorias. Nesse caso, a especialista conta que o iogurte grego pode até ser mais calórico que outros tipos, mas que é preciso observar de onde vem essas calorias.

“As calorias provenientes de proteínas, nesse caso, são mais interessantes”, informa. Portanto, é necessário ficar atento, já que há produtos com menor quantidade de calorias, porém com mais gordura que os demais.

Sobre a quantidade ideal de iogurte grego no dia a dia, a nutricionista usa a pirâmide alimentar brasileira como base. A recomendação é de duas a três porções de laticínios ao dia. “Se for iogurte desnatado, recomendo 150ml e leite desnatado, 300ml”, diz.

A última dica da nutricionista é se ater ao iogurte grego no máximo duas vezes ao dia e preferencialmente adicionar cereais integrais e frutas como acompanhamento.

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!


DEIXE UMA RESPOSTA