Estética

Creme para clarear a pele: aprenda a escolher o ideal

Por Redação Doutíssima 24/08/2015

O mercado farmacêutico dispõe de alternativas cada vez mais amplas para a correção de problemas na epiderme. Manchas, pintas e até hematomas podem ser atenuados com um creme para clarear a pele. Mas é necessário ter alguns cuidados específicos em relação a esse produto, para que o tratamento não seja prejudicado.

De acordo com uma projeção da IMS Health, em 2016, o Brasil deve alcançar a 4ª posição no ranking das maiores indústrias farmacêuticas mundiais, ficando atrás apenas dos Estados Unidos, China e Japão. Nesse cenário, o creme para clarear a pele ganha espaço. Mas atenção: o produto deve ser recomendado pelo dermatologista.

“Um creme para clarear a pele é indicado sempre que a alteração da cor estiver devidamente diagnosticada. Atualmente, existem vários ativos no mercado cosmecêutico e anos de pesquisa têm sido empregados no desenvolvimento de produtos com uma proposta personalizada para cada paciente, de acordo com o tipo de mancha”, pontua a dermatologista Cecilia Cassal.

creme para clarear a pele

Creme para clarear a pele deve ser recomendado pelo dermatologista. Foto: iStock, Getty Images

Quando usar creme para clarear a pele?

As manchas que demandam o uso de um creme clareador se dividem em algumas categorias. “Há aquelas causadas pela melanina, o pigmento que dá cor à pele, as causadas pela hemosiderina, no caso dos hematomas, as manchas residuais, decorrentes de processos inflamatórios recentes e, ainda, os sinais de beleza ou pintas”, esclarece a dermatologista.

De acordo com a especialista, a maior causa de procura por um produto de clareamento são os melasmas, manchas caracterizadas por uma coloração marrom – claro ou escuro – e que surgem especialmente em áreas muito expostas à luz, como a face e o colo.

“Podemos dizer que há um trio de condições necessárias para a formação do melasma: predisposição genética, hormônios como o estrógeno e progesterona e luz. Todos eles oferecem risco na proporção direta de intensidade. Por exemplo: quanto mais intensa a luz, maior a probabilidade de manchar”, explana ela.

Cuidados com o creme para clarear a pele

O tratamento com o creme para clarear a pele tem como estratégia fundamental o bloqueio da luz. Por isso, o cuidado imprescindível é: fotoproteção absoluta. “No momento de tratar um melasma, é necessário fazer uma escolha entre o desejo de se bronzear ou de corrigir o problema. A luz que entra na pele para bronzear é a mesma que mancha”, enfatiza Cecilia.

Segundo ela, os cremes com substâncias despigmentantes são elaborados, geralmente, com hidroquinona e tretinoína.

“A fórmula clássica para tratar melasma contém estes dois ativos. Mas sensibilidades individuais aos componentes da fórmula, como a presença de gestação, as condições ocupacionais e de adesão ao fotoprotetor podem tornar o tratamento variável”, aponta.

Nesses casos, o tratamento pode ser feito com outros ativos, como a nicotinamida, a vitamina C, o arbutin, entre vários outros disponíveis, de forma combinada ou isolada. Independente da fórmula em questão, é imprescindível adotar alguns cuidados extras durante o uso do produto.

“Recomendo o uso de protetores solares três vezes ao dia, chapéus, maquiagem e, até mesmo, andar pela sombra”, destaca a dermatologista. De acordo com ela, sem esses cuidados, por mais sofisticado que seja o creme, o tratamento será um desperdício de tempo, dinheiro e expectativas.

“Um melasma se trata para sempre. É quase uma opção de vida. De nada adianta tratar o melasma durante todo o inverno e esquecer os cuidados no verão”, finaliza.

 

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!


Sites parceiros