[the_ad_group id="16403"]
Especialidades > Estética

Saiba tudo sobre depilação íntima

Por Redação Doutíssima 03/03/2014

É só alguém mencionar depilação e a maioria das mulheres já se enchem de arrepios, principalmente as brasileiras! O Brasil, famoso mundialmente por ter mostrado ao mundo a técnica de depilação íntima chamada de Brazilian Wax, remoção quase total dos pelos da região íntima feminina, deixando apenas um pequeno filete de pelos na parte frontal ou até a retirada total dos pelos.

Mas não são todas as mulheres que aderem essa moda, algumas preferem uma depilação íntima mais naturalista, menos cavada ou mesmo removendo o mínimo de pelos possível. Mas qual será o estilo mais higiênico?

depilação íntima

Segundo a ginecologista Sueli Raposo, do laboratório Exame, em Brasília, a depilação íntima completa não se torna necessariamente mais higiênica. A higiene da região está associada diretamente com a limpeza da área e não aos pelos.  “Pode-se ter uma higiene excelente mesmo com os pelos” , diz a médica. Assim, uma depilação íntima completa não será mais higiênica do que uma área bem cuidada e não depilada. Ela acrescenta que, “Independente da escolha da mulher, é importante tomar os cuidados necessários com a higiene, como uso de sabonetes neutros ou íntimos.”

Depilação íntima e o mau odor

Se a higiene não ocorrer de maneira correta, não depilar pode tornar a região mais sujeita a odores. De acordo com a dermatologista Valeria Campos, da Sociedade Brasileira de Dermatologia,  “A depilação pode facilitar a higiene, e dessa forma fazer com que os odores diminuam”. Pois se o local não for higienizado corretamente, as glândulas presentes nas bases dos pelos produzem suor e gorduras que lubrificam e resfriam a pele, causando odor desagradável.

O mau odor pode ser também uma infecção vaginal não associada ao pelo, por isso é preciso procurar um ginecologista para avaliar e tratar. Uma dica para as mulheres que optarem pela depilação íntima não completa é manter os pelos aparados, assim diminuindo a concentração de suor e sebo na área.

Depilação íntima e as infecções

Os pelos, da mesma forma que os nossos cabelos, estão lá como uma defesa do nosso organismo, e a depilação íntima completa pode comprometer sua função. O uso de tecidos sintéticos e roupas apertadas, que abafam a região vaginas, assim como a troca incorreta de absorventes e protetores diários, influenciam no acúmulo de suor na região, aumentando o risco de alergias e infecções vaginais independente da depilação.

De acordo com a dermatologista Valeria, a depilação íntima realizada com ceras ou lâminas, torna os poros da pele da vulva entreabertos ou mesmo com pequenas fissuras que favorecem contaminações. Portanto, os cuidados com a pele pré e pós depilação são extremamente importantes e não devem ser deixados de lado. “Higienizar bem a área antes e lavar e usar produtos calmantes logo após o procedimento são fundamentais para evitar irritações”, explica.

Para as mulheres que optam pela depilação, a sugestão da dermatologista é preservar um filete de pelo com 2 cm de largura em média, para evitar o atrito direto da vagina com os tecidos e absorventes, para diminuir o risco de infecções e irritações da região.

Se após a depilação, a mulher sofrer de coceira vaginal ou mesmo foliculite, é recomendado um intervalo de pelo menos 30 dias até a próxima depilação.  “Isso garante que a pele irá se recuperar completamente e estará pronta para uma nova sessão”, diz Valéria. Mas se esse não for o caso e a sua pele não ficar irritada após as sessões, não é preciso esperar.

depilação íntima

Tipos de depilação íntima:

Lâmina

É a solução mais rápida e prática, porém ela deve ser evitada. Como não há muita visibilidade da região, cortes podem ocorrer facilmente aumentando o risco de infecções. Se você optar por este método mesmo assim, a lâmina deve ser deslizada no mesmo sentido do crescimento dos pelos para evitar os pelos encravados e que a pele se torne sensível demais. A melhor hora é após o banho, com a pele limpa usando água quente para dilatar os poros.

A lâmina não elimina os pelos pela raíz, de forma que a região fique um pouco áspera quando começam a crescer novamente, entre 1 ou dois duas após a depilação.

Cera quente

Esta é a melhor solução paras as mulheres que não sofrem com pelos encravados. Sempre retirada no sentido contrário ao crescimento dos pelos.

Os pelos vão demorar em torno de 20 dias para começarem a crescer novamente com a depilação feita com cera quente. E após muitas sessões, ele começa a crescer cada vez mais fino e em menor quantidade. Marque a sessão alguns dias antes do encontro com o parceiro, pois a pele pode ficar vermelha, sensível e um pouco inchada.

Creme depilatório

Para quem não consegue encarar a dor da cera quente ou fria, o creme depilatório é uma boa solução. No entanto, antes de aplicar o produto, verifique se ele é apropriado para a região e faça um teste de sensibilidade contra alergias.

Os pelos são removidos após alguns minutos de ser aplicado e o resultado dura em cerca três dias.

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!

 

 


[the_ad_group id="16349"]
[the_ad_group id="16404"]