Qualidade de vida

Veja dicas para escolher animais de estimação para crianças

Por Redação Doutíssima 09/09/2015

O dia 9 de setembro é a data em que se comemora o médico veterinário, profissional importante na relação humana com os animais. São essas pessoas que cuidam da saúde, do comportamento e do desenvolvimento dos bichinhos de estimação.

Permitir que crianças cresçam com companhia de animais de estimação é uma fórmula mágica para boa saúde, educação, consciência e respeito. Estudos comprovam que ter um companheiro de outra espécie melhora a autoestima, deixa as pessoas mais saudáveis, mais felizes, e contribui para a socialização e os relacionamentos com outras pessoas.

Uma análise publicada por Gail F. Melson, da Purdue University, reúne o trabalho de diversos cientistas que avaliaram a relação entre crianças e bichos de estimação. Além de mencionar situações em que animais são usados para auxiliar em terapias com os pequenos, o estudo comenta que a companhia de um bichinho ajuda a desenvolver empatia e é uma válvula de escape para o estresse.

animais doutíssima istock getty images

Animais de estimação podem trazer vários benefícios para as crianças. Foto: iStock, Getty Images

A convivência com animais ainda estimula a percepção de crianças pequenas para a biologia, como o significado de estar vivo, a diferenciação entre espécies e formas de vida, reprodução e morte. Elas ainda aprendem conceitos morais e entendem a importância do cuidado humano na vida de outros seres, promovendo uma consciência ecológica, de conservação e de bem-estar geral.

Como escolher animais de estimação para crianças

Agora que já ficou claro a contribuição dos animais de estimação no desenvolvimento das crianças, é importante saber como escolher o bichinho que poderá se tornar o melhor amigo delas durante a infância.

Se você já não tinha um pet antes de ter filhos, é preciso lembrar que filhotes, tanto humanos quanto animais, dão bastante trabalho e necessitam de dedicação. Se o seu filho já estiver um pouquinho maior e mais independente, após os 3 anos, fica bem mais fácil trazer um bichinho para casa.

Animais demandam atenção, tempo e espaço. Enquanto cachorros e gatos são os companheiros mais comuns das famílias, ainda há outras opções. Chinchilas, pássaros, coelhos e porquinhos também podem ser bons companheiros, mas é ideal consultar um criador ou veterinário para entender melhor as necessidades de cada animal.

O mais comum é trazer um filhote para casa, mas já pensou em um jovem? Tanto cães quanto gatos que já passaram pela infância e adolescência tendem a ser mais calmos, menos destruidores e mais atenciosos. A única ressalva é quanto ao temperamento: se o bicho for arisco, ciumento ou agressivo não vai ser uma boa ideia deixá-lo perto de crianças.

Comprar ou adotar?

Comprar animais geralmente envolve a busca por raças específicas, em que o comportamento, o porte quando adulto e os cuidados com a saúde já são conhecidos. Mas alguns desses animais podem custar caro.

A adoção é um ótima opção para quem quer ter animais de estimação e ainda auxilia a criança a dar valor e compreender o amor ao próximo. O porte pode ser avaliado por um veterinário em caso de filhotes.

Em caso de animais adultos, é importante testar o temperamento e ter uma noção da expectativa de vida. Cães sem raça definida (SRD) tendem a ser mais resistentes a doenças. Considere a castração, principalmente se o bichinho tiver acesso à rua, onde pode entrar em contato com outros animais.

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar! 

 

É fã do Doutíssima? Acompanhe o nosso conteúdo pelo Instagram!


Sites parceiros