Filhos

Entenda a importância das brincadeiras antigas para as crianças

Por Redação Doutíssima 25/09/2015

A infância é uma fase de descobertas e diversão, na qual brincadeiras e jogos são fundamentais. Porém, nas últimas décadas, algumas brincadeiras antigas estão sendo substituídas por jogos de computador ou celular. E especialistas indicam que essa troca talvez não seja muito benéfica para as crianças.

 

Brincadeiras antigas ajudam no desenvolvimento

Brincar é importante porque ajuda as crianças a crescerem fortes e saudáveis. Quando elas correm e saltam, estão construindo seus músculos. Elas queimam energia e isso as deixa cansadas e famintas, melhorando a ingestão de alimentos.

brincadeiras antigas

Brincadeiras ao ar livre que envolvem a imaginação ajudam no desenvolvimento. Foto: iStock, Getty Images

Além disso, são notáveis os benefícios para força, resistência e equilíbrio. As brincadeiras antigas, como esconde-esconde e pega-pega, ajudam na coordenação do corpo e a dormir e comer melhor.

 

Uma pesquisa publicada no International Journal of Environmental Research and Public Health descobriu que crianças que participam de atividade física, como escalada e salto através de jogos e brincadeiras, possuem maior saúde física e social.

Então, por que as brincadeiras antigas estão sendo deixadas de lado? Há várias explicações, como falta de tempo dos pais, atratividade de jogos eletrônicos e insegurança de brincar na rua.

 

Esses motivos até podem ser procedentes, mas é preciso lembrar que muitas vezes se está deixando de lado uma grande e essencial fase para os pequenos.

Ao brincar com jogos que estimulem sua imaginação e exijam mais do corpo, é possível que eles tenham grandes avanços no desenvolvimento. Jogos de amarelinha, por exemplo, permitem que as crianças criem noção de espaço, coordenação motora e equilíbrio, além de ensinar noções importantes sobre seguir regras.

 

Os pais devem ser os maiores defensores da aprendizagem dos filhos. E reservar um tempo para brincar com eles nesses tipos de jogos é uma atitude simples e que pode refletir positivamente em habilidades cognitivas, linguagens física, social e emocional, e desenvolvimento.  

Lembre-se de suas próprias experiências ao ar livre, construindo fortalezas, jogando na praia ou brincando com outras crianças do bairro. Certifique-se de que seus filhos criem essas mesmas memórias.

 

Aprendizado na infância

A infância é uma fase muito importante na vida de qualquer pessoa. Tudo o que aprendemos e vivemos nela é perpetuado e servirá como valores para a idade adulta. Isso é o que indica a fisioterapeuta Ana Maria, da ONG Aliança pela Infância.

 

Segundo a especialista, a criança só aprende a entender e controlar seus sentidos se permitindo conhecer, arriscar e brincar. A partir daí, ela percebe como se dá a lei da gravidade e outras descobertas essenciais à vida. Por exemplo, cerca de 80% do aprendizado da criança vêm através dos olhos, já que ela imita tudo que observa ao seu redor.

 

Além disso, essas atividades são capazes de ajudar crianças com hiperatividade e falta de concentração e memória. Por isso, recorrer às brincadeiras antigas pode ser a solução para deixar os pequenos livres e em contato com a natureza.

Para a especialista, os pais devem fazer parte, de fato, da vida dos filhos. E isso não significa fornecer bens materiais e impor limites, mas também observar o desenvolvimento da criança e estimulá-lo através de vivências concretas e trocas humanas.

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar! 


Sites parceiros