Dica do Nutricionista

Carvão vegetal: entenda para que serve e como tirar proveito

Por Redação Doutíssima 30/09/2015

O carvão vegetal ativado faz parte da vasta oferta de remédios naturais encontrados em lojas de fitoterápicos. Indicado para diversos problemas, ele é uma alternativa no tratamento de alguns distúrbios na saúde, garantindo o bem-estar da pessoa.

 

Conheça o carvão vegetal

A nutricionista Fabiana Neumann explica que o carvão vegetal é utilizado na medicina natural com o intuito de prevenir ou tratar envenenamento, intoxicação por medicamentos ou alimentos, icterícia e problemas relacionados ao sistema gastrointestinal, como diarreia, gases, mau hálito, aftas e dores de estômago.

carvao vegetal

Cápsulas com carvão ativado são indicadas para tratar intoxicação alimentar. Foto: iStock, Getty Images

Outros usos da substância são para auxiliar a restauração óssea em casos de fratura e osteoporose, na redução da fadiga, estafa e estresse e no tratamento de tumores e úlceras.

 

Comercializado em pó, tabletes ou cápsulas, a nutricionista recomenda o uso da última opção. “Estas são produzidas com o carvão vegetal ativado, que é mais potente na absorção de toxinas”, explica.

Os benefícios promovidos pelo carvão ativado vêm da sua porosidade. Essa característica permite que ele limpe o meio, puxando para si gases e substâncias tóxicas. Esse produto costuma ser utilizado também para filtrar água.

Quando usar o carvão vegetal

Em suas variadas formas de consumo, o carvão ativado é utilizado principalmente no tratamento de intoxicações, na redução de flatulência e para diminuir os níveis do colesterol ruim (LDL) no organismo. Outro uso é para tratar a ressaca matinal depois de uma noite de bebedeira exagerada.

 

Fabiana diz que o consumo do carvão ativado é seguro para a maioria dos adultos se usado para tratamentos de curto prazo. Mas o medicamento natural possui efeitos colaterais que incluem constipação e a liberação de fezes escuras e com cheiro mais forte.

“Há também registros de efeitos colaterais mais graves, mas menos recorrentes, como a diminuição de função ou impedimento do trato intestinal, além de refluxo no pulmão e desidratação do organismo”, adiciona a nutricionista.

Assim, quem tem problemas de evacuação, dificuldades para ir aos pés e movimentos intestinais insatisfatórios não deve fazer o uso desse medicamento natural. O carvão ativado só deve ser usado nessas ocasiões se a pessoa teve indicação médica para usufruir da substância.

 

Como tomar o carvão vegetal

Fabiana aconselha tomar as cápsulas de carvão vegetal em horários afastados da refeição para evitar que ele impeça a absorção de vitaminas e oligoelementos.

“Sugere-se o consumo de até quatro cápsulas por dia ou a critério médico. Como se trata de uma substância adsorvente, o uso desse fitoterápico deve ser suspenso antes de se utilizar medicamentos ou suplementos nutricionais”, comenta.

Mulheres grávidas ou que estão amamentando não devem fazer o uso dessa substância como medicamento. Fabiana diz que a falta de evidências sobre a ingestão do carvão ativado nessas circunstâncias não a torna segura para o uso.

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre o carvão vegetal? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar! 


Sites parceiros