Seja em casa ou no cinema, lá está ela, a pipoca, nos fazendo companhia entre sustos, risadas ou lágrimas. Segundo um estudo realizado pela Universidade de Scraton, esse alimento tem concentração de polifenóis, um antioxidante benéfico à saúde, maior que algumas frutas e vegetais. E que tal ampliar as vantagens com uma pipoca light?

De acordo com o pesquisador Joe Vinson, a pipoca apresenta mais polifenóis porque o alimento possui apenas 4% de água, enquanto as frutas e vegetais 90%, que acabam por diluir o antioxidante. A casca também contém benefícios, já que em sua composição são encontrados polifenóis e fibras.

pipoca-light-doutissima-shutterstock
Pipoca pode ser consumida diariamente, desde que em seu preparo não sejam cometidos excessos. Foto: Shutterstock

Essa alta concentração de antioxidantes faz da pipoca um aliado no combate e prevenção de doenças cardíacas, câncer e outras doenças. Porém, especialistas recomendam que as frutas e vegetais não sejam substituídos e sim, adicionados à dieta. Quanto mais variada a sua alimentação, melhor o seu organismo estará servido de nutrientes.

Entre os benefícios da pipoca está o amido resistente, que é um tipo de carboidrato absorvido pelo organismo de maneira mais lenta, assim a sensação de saciedade se prolonga por mais tempo. Ou seja, a pipoca pode ser consumida diariamente, desde que em seu preparo não sejam cometidos excessos.

Pipoca como vilã

Se a pipoca tem todos esses benefícios por que ainda é vista como vilã? Todo o problema está na forma como é preparada. Normalmente esse alimento é feito com adição de açúcar, sal ou então, temperos prontos.

O perigo está nos excessos. Grandes quantidades de sal aumentam os riscos de hipertensão e sobrecarga renal. Já o açúcar pode resultar em diabetes.

Especialistas também apontam que a margarina ou manteiga não são recomendadas para o preparo da pipoca, pois saturam o alimentos com mais facilidade do que o óleo.

Pipoca light como alternativa

Outro estudo, publicado em 2013, no Journal of the American Diet Association, mostrou que os fâs de pipoca que adicionaram o alimento a sua dieta diária tem consumido a quantidade recomendada de grãos integrais.

Já que o problema está no modo de preparar o alimento, confira a receita de pipoca light que reunimos para você.

No micro-ondas

A pipoca light é mais saudável quando preparada no micro-ondas porque não leva azeite. Coloque em uma saco de pão a quantidade de milho que cabe em sua mão fechada. Lacre o saco de pão com uma fita adesiva.

 

Leve ao micro-ondas e selecione a opção pipoca. Ao retirar, adicione uma pitadinha de sal e estará pronta para ser consumida. Não é necessário colocar azeite.

No fogão

 

Colocar 5 colheres de sopa de milho na panela, 5 colheres de sopa de água, 1 colher de chá de sal (rasa) e 1 fio de azeite é o suficiente para o preparo. Misture bem. Deixe em fogo alto de 6 a 8 minutos.

 

A mesma quantidade de colheres tanto de água quanto de milho podem ser utilizadas na versão para micro-ondas. Se você preferir aquecer o azeite antes de colocar o milho, isso ajuda a preparar mais rápido a pipoca.

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar! 


DEIXE UMA RESPOSTA