Nutrição > Receitas

Capuchinha: a flor que enfeita e também enriquece a sua refeição

Por Vivian Ortiz 10/10/2018

Que tal comer uma bela salada cheia daqueles itens tradicionais, como tomate, alface e cenoura, mas também com flores entre seus ingredientes? Isso é possível com a capuchinha, uma flor com pétalas vermelhas, alaranjadas ou brancas que, diferentemente do que muitos imaginam, consegue agradar não só aos olhos, mas também ao paladar.

A capuchinha fica linda na refeição. (Foto: iStock)

Na cozinha, uma palavra que combina com a espécie é versatilidade, pois ela pode ser ingrediente de saladas e ainda complemento de carnes e queijos. Além disso, suas sementes moídas servem até como um substituto da pimenta para quem curte temperos mais ardentes. Quando usada sob a forma de conserva, a capuchinha é conhecida como falsa alcaparra.

Benefícios para a saúde

Originária da região dos Andes, na América do Sul, a planta também é chamada de chagas, flor-do-sangue e agrião-do-méxico, entre outros nomes.

A espécie está sendo estudada por agrônomos na Embrapa Hortaliças, em Brasília, dentro de um projeto de pesquisa que elegeu as 50 espécies vegetais do grupo de plantas alimentícias não convencionais, popularmente chamada de PANCs.

Essas plantas são consideradas alimentícias devido ao alto teor nutricional dentro da dieta humana, e não convencionais porque são muitas as pessoas que as confundem com “ervas daninhas”.

De acordo com os pesquisadores, a capuchinha é a flor comestível mais consumida no Brasil, sendo rica em vitamina C e em minerais como potássio, cálcio e zinco, além de luteína, um composto antioxidante que ajuda na prevenção de doenças oculares.

Rica em ácido oxálico, lucosinolatos, mirosina, espilantol e sais minerais, como ferro, iodo e fosfato, a capuchinha é muito usada para reduzir secreção nasal, gripes, resfriados, rinites e alergias. Portanto, suas folhas e flores, em infusões, também aumentam a resistência do organismo a ações bacterianas. Isso acontece principalmente pelo potencial antisséptico, que atua na contenção de microrganismos.

Como plantar em casa

A capuchinha tem cultivo simples, com brotação e florescimento rápidos. Para colocá-la na sua horta, pegue uma muda ou um galho e plante em um vaso com terra úmida. Deixe em um local com sombra, inicialmente. Depois de a planta se firmar, é necessário cuidar da umidade do solo para impedir que a terra fique seca.

Após serem colhidas, as flores e as folhas precisam ser mantidas resfriadas. Assim sendo, a temperatura ideal é entre 5 °C e 10 °C. Nessas condições, o alimento poderá ser consumido em até uma semana.

De acordo com a Embrapa, as flores também podem ser desidratadas ou, ainda, congeladas na forma de cubo de gelo, para serem adicionadas a coquetéis.

Como usar a capuchinha na culinária

Confira uma receita diferente com a flor, indicada pelos pesquisadores da Embrapa:

Charutos de folhas de capuchinha

  • 30 folhas de capuchinha
  • 100 g de arroz
  • 200 g de carne moída
  • Sal, alho, cebola e pimenta a gosto

Misture o arroz lavado com a carne moída temperada. Depois, lave as folhas de capuchinha e passe em água quente para facilitar a montagem do charuto. Na sequência, abra a folha e coloque o recheio no centro. Dobre os dois lados para cobrir o recheio e, na sequência, enrole a folha da base em direção à ponta. Cozinhe o resultado no vapor, por aproximadamente 40 minutos, e decore com as flores.


Sites parceiros