Que tal diminuir os gastos com o salão de beleza? A autodepilação é uma alternativa cada vez mais comum para as mulheres que desejam driblar a crise financeira. Seja com o uso de cera quente ou fria, depiladores elétricos, cremes depilatórios ou lâmina, é preciso alguns cuidados para não danificar a pele durante o processo.

O ideal é dar atenção à higiene dos materiais, escolha dos produtos e, principalmente, à técnica escolhida. Quando mal feita, a depilação pode causar manchas e inflamações nos pelos, a chamada foliculite.

autodepilação istock getty images doutíssima
Caso opte pela depilação com cera quente ou fria, prefira os produtos industrializados. Foto: iStock, Getty Images

Escolha do tipo de depilação  

O sistema roll-on de depilação em cera é recomendado para regiões sensíveis, como virilha e axilas. Enquanto isso, a cera quente preparada no micro-ondas pode ser utilizada nas pernas. A desvantagem, é que, quando mal feitas, podem encravar os pelos.

A versão fria é indicada para peles oleosas, além de apresentar volta dos pelos somente 20 dias após o processo. Entretanto, é uma técnica mais dolorida e pode ressecar a pele.

A lâmina, por outro lado, é uma das mais utilizadas pela rapidez, custo baixo e praticidade. Porém, é preciso cuidado para não cortar a pele. Além disso, os pelos crescem rapidamente, deixando a pele do local áspera.

Os cremes depilatórios são mais suaves que os outros métodos. A alternativa é indolor, pois a aplicação do produto dissolve a proteína que constitui o pelo. Contudo, não pode ser utilizado em peles irritadas ou machucadas.

A opção mais cara da autodepilação são os aparelhos elétricos. Por outro lado, podem ser vistos como um investimento, uma vez que arrancam os fios pela raiz, sugam os pelos, não costumam causar alergias e têm boa durabilidade. Entretanto, o processo é um pouco mais doloroso que os outros métodos.

Dicas para autodepilação

Caso vá optar pela cera quente ou fria, esqueça a parte caseira do processo e prefira os produtos industrializados. Além da praticidade, são devidamente avaliados e testados antes de chegarem às prateleiras das lojas.

 

Uma dica é procurar por ceras aprovadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Dessa forma, caso você apresente reação alérgica, é possível recorrer aos fabricantes do cosmético.

Por outro lado, na hora da escolha do tipo de depilação, você também deve estar atenta às particularidades do seu corpo. Se você já é alérgica a alguns componentes, consulte o dermatologista para que indique as opções ideais para o seu caso.

Confira abaixo 7 dicas rápidas para melhorar a autodepilação. 

 

1. Higienize a pele antes do processo, retirando resíduos de cremes ou óleos corporais.

 

2. Aplique a cera na direção do crescimento dos pelos para as pontas para respeitar o sentido em que nascem.

 

3. Retire a cera de maneira rápida e na direção oposta ao crescimento dos fios.

 

4. Se sobrar pelinhos, retire com uma pinça.

 

5. Ao finalizar a depilação, aplique gel ou cremes à base de componentes calmantes, como camomila, sálvia e calêndula.

 

6. Evite usar calças apertadas, tecidos ásperos e se expor ao sol logo após a depilação.

 

7. Não reutilize a cera de outras depilações, mesmo que esteja aquecida a altas temperaturas. Isso não impede a presença de bactérias mais resistentes.

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar! 


DEIXE UMA RESPOSTA