[the_ad_group id="16401"]
Clínica Geral

Dengue: veja dicas sobre como proteger sua família

Por Redação Doutíssima 26/02/2014

Muito se ouve falar sobre a dengue, mas você sabe o que é, como é transmitida ou como se manifesta? Trata-se de uma doença infecciosa febril aguda, viral, de evolução benigna na sua forma clássica e grave quando se apresenta de forma hemorrágica.

dengue istock getty images doutíssima

Dengue e ela é transmitida através da picada da fêmea do mosquito Aedes aegypti. Foto: iStock, Getty Images

Existem quatro tipos de dengue e ela é transmitida através da picada da fêmea do mosquito Aedes aegypti. Todos esses quatro sorotipos podem se manifestar de formas diferentes.

O primeiro caso de dengue no Brasil foi registrado em 1685, no Recife. De lá para cá, o País lança ano após ano campanhas de combate a essa doença para evitar epidemia.

Números da dengue no Brasil

O Ministério da Saúde registrou 1,5 milhão de casos de dengue entre 4 de janeiro até 14 de novembro deste ano. Segundo dados da Secretaria de Vigilância em Saúde, a região Sudeste registrou 975.505 casos, tornando-se assim a região com maior número de infectados pela doença.

Nas primeiras 15 semanas de 2015, foram registradas 229 mortes causadas pela doença. Nesse mesmo período do ano anterior haviam sido confirmadas 149 mortes em função da enfermidade.

A Organização Mundial de Saúde considera uma epidemia quando a incidência alcança 300/100 mil habitantes. No Brasil o índice é de 367,8/100 mil habitantes.

Sintomas e como tratar

A dengue apresenta sintomas variáveis que podem ser confundidos com gripes, resfriados, rubéola, sarampo e infecções bacterianas e virais. Mas então, como diagnosticar essa doença? Confira os sintomas, segundo o Ministério da Saúde.

Na forma clássica da doença, os sintomas podem persistir de cinco a sete dias. Nesse período a febre pode desaparecer.

  • Febre alta de 39º C e 40º C
  • Dor abdominal, principalmente em crianças
  • Cefaleia
  • Mialgia
  • Prostração
  • Artralgia
  • Anorexia
  • Vômitos
  • Náuseas
  • Gengivorragia, principalmente em adultos

A dengue hemorrágica apresenta sintomas semelhantes à forma clássica, porém de rápida evolução.

  • Febre alta
  • Fenômenos hemorrágicos
  • Hepatomegalia, aumento anormal do fígado
  • Insuficiência circulatória

O diagnóstico das duas formas pode ser feito através de dois exames: isolamento (método realizado através da coleta de sangue para identificar qual é o sorotipo responsável pela infecção) e sorologia (testes sorológicos complementares ao teste de isolamento).

Não existe tratamento específico para a forma clássica da doença. São usados analgésicos e antitérmicos. É recomendado que o paciente permaneça em repouso e faça hidratação oral.

Os pacientes que desenvolverem a hemorrágica devem ser observados com mais cuidados para que seja evitado o choque e estado crítico que podem causar insuficiência cardíaca.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) está avaliando a liberação de uma vacina contra a dengue que foi desenvolvida pela Sanofi, laboratório francês. A vacina conta com um vírus que foi modificado geneticamente para ser atenuado e promover o desenvolvimento da imunidade do indivíduo.

A vacina atuaria como uma medida de prevenção contra a dengue. Em agosto desse ano, a  Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio) já havia aprovado testes clínicos com essa vacina.

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!


[the_ad id="14710899"]
[the_ad id="14710899"]
[the_ad_group id="16404"]