[the_ad_group id="16403"]
Especialidades

Aprenda como evitar o surgimento da tenossinovite

Por Mayara Pinheiro 02/04/2014

Também conhecida como dedo de gatilho, a tenossinovite acontece quando os músculos do dedão inflamam e se curvam, deixando-o torto. O problema atinge, especificamente, o longo abdutor e o curto extensor do polegar, duas musculaturas que começam no punho.

Elas são responsáveis por afastar o polegar dos outros dedos. Os tendões afetados ficam impossibilitados de realizar a sua força, porque o túnel que eles atravessam inflama, o que causa diminuição do espaço.

Assim, o deslize do dedo fica impossibilitado e provoca dores. A única forma de evitar um quadro desse problema articular e muscular é limitar movimentos repetitivos e não utilizar demais os tendões. 

tenossinovite

A tenossinovite pode causar dor intensa. Foto: iStock, Getty Images

Tenossinovite pode ser provocada no trabalho

As causas da tenossinovite podem tanto ser ocupacionais como por fatores de metabolismo ou inflamações. No trabalho, muitas pessoas realizam atividades que exigem o movimento de pinçar o polegar o e indicador, flexionando, estendendo o punho e utilizando a força dos tendões.

Além disso, algumas ferramentas de trabalho podem desviar os músculos em função das repetições. Quando a origem não é de trabalho, algumas doenças de origem metabólica podem estar envolvidas, como a diabetes, a gota e o hipotireoidismo.

Outros problemas inflamatórios, como a infecção por fungos, a tuberculose e a artrite podem provocar o dedo de gatilho. Amigdalites, otites e inflamações dentárias são igualmente perigosas para agravar o problema.

Para diagnosticar o problema, é realizado um teste chamado Finkelstein, especial para quem sente dores no pulso. No exame, o polegar é colocado na mão fechada, enquanto ela é girada na direção do dedo mínimo. Radiografias, provas reumáticas e hemogramas também podem ajudar no diagnóstico.

Tratamento da tenossinovite requer fisioterapia

Assim como diversas outras dores musculares e das articulações, a tenossinovite pode ser tratada com aplicação de bolsa de gelo, alongamentos leves, órteses, talas e repouso. Para acelerar o processo de cura, o médico pode receitar alguns remédios.

Em casos graves, quando os tratamentos convencionais não se mostram eficazes, é possível realizar um procedimento cirúrgico, quando uma pequena incisão corta o retináculo extensor do dedo e alivia a pressão dos tendões. Com anestesia local, a cirurgia é simples, mas requer repouso de algumas semanas após a realização.

É muito importante procurar um especialista, que indique um tratamento adequado,de acordo com cada caso e paciente. O objetivo principal é sempre aliviar a dor provocada pelos inchaços e irritação nos tendões.

Durante o período de recuperação, os pacientes precisam seguir a orientação médica e realizar exercícios recomendados por fisioterapeutas. Somente assim é possível prevenir que um novo quadro de tenossinovite se manifeste. Além disso, o acompanhamento ajuda a evitar problemas durante a cicatrização e proporciona melhor mobilidade.

Alguns recursos da fisioterapia para o caso de dedo de gatilho são a aplicação do gelo para diminuir a dor, reduzir o edema e agir sobre o inchaço. A estimulação elétrica transcutânea também costuma se mostrar eficaz.

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!


[the_ad_group id="16349"]
[the_ad_group id="16404"]