[the_ad_group id="16401"]
Dica do Dermatologista > Pele

7 Fotos impressionantes sobre os efeitos prejudiciais dos raios ultra-violeta para a pele

Por Redação Doutíssima 15/04/2014

Cara Phillips, ex-modelo norte-americana e atualmente fotógrafa, realizou uma série de fotografias em branco e preto, iluminadas apenas com uma lâmpada UV, com o intuito de mostrar os efeitos nocivos dos raios ultra-violeta na pele do rosto. Nas fotografias, os olhos dos modelos estão fechados, para que a atenção do observador se concentre nas manchas de melanina reveladas por uma luz ultravioleta. As fotos mostram os danos do sol em uma epiderme não (ou não suficientemente) protegida.

Cara se inspirou nas fotos tiradas por dermatologistas, que costumam tirar esse tipo de foto de seus pacientes para mostrar os futuros danos da pele – variando de acordo com diversos fatores, como a quantidade de exposição ao sol ao longo dos anos.

Apesar das fotos serem principalmente centralizadas nos defeitos da pele, o projeto, quase poético, se chama Ultraviolet Beauties. Cara realizou a série de fotografias com diversos tipos de modelos: homens, mulheres, brancos, negros, orientais, jovens e velhos. Todos eles visivelmente atingidos pelos raios ultra-violeta, cujos danos são frequentemente esquecidos. Um projeto extremamente original – não somente por ele denunciar um problema de saúde pública sem utilizar um tom de desespero, mas também porque ele expõe o rosto dos modelos ao natural, sem maquiagens ou retoques no photoshop.

Veja algumas fotos do projeto:

 

raios ultra-violeta

raios ultra-violeta

raios ultra-violeta

raios ultra-violeta

raios ultra-violeta

raios ultra-violeta

raios ultra-violeta

Os raios ultra-violeta e seus efeitos nocivos

 

 

Os raios ultra-violeta (UV) fazem parte da luz solar que atingem o planeta Terra. Ao atingir nossa pele, os raios ultra-violeta a penetram profundamente e desencadeiam reações imediatas – como queimaduras solares, fotoalergias (alergias desencadeadas pela luz solar) e o bronzeamento. Além disso, os raios ultra-violeta provocam reações tardias, devido ao efeito acumulativo da radiação ao longo dos anos. Isto provoca um envelhecimento cutâneo e alterações celulares que, através de mutações genéticas, contribuem com as chances do câncer da pele ocorrer. Os raios ultra-violeta podem ser subdivididos em UVA, UVB e UVC. As frações que atingem a Terra são a UVA e UVB, pois a atmosfera terrestre bloqueia a passagem da radiação UVC, impedindo que ela chegue à superfície de nosso planeta.

 

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!

 

Saiba mais:

 

Protetor solar: Saiba como escolher o mais adequado para o seu tipo de pele

Proteção para a pele: veja dicas importantes sobre o uso de protetor solar

Remédios caseiros para queimaduras solares

5 Dicas para escolher o protetor solar corretamente

Base com protetor solar e protetor com cor de base: qual a diferença?

Como tomar sol no verão sem estragar a pele

Conheça os perigos de usar óculos de sol falsificados


[the_ad id="14710899"]
[the_ad id="14710899"]
[the_ad_group id="16404"]