[the_ad_group id="16401"]
Especialidades

Se você sente dores no sexo, alguma coisa está errada. Entenda!

Por Redação Doutíssima 24/05/2014

Fazer sexo é frequentemente um sinônimo de prazer que só traz impactos positivos ao corpo e à mente. No entanto, para algumas mulheres, este ato de amor, no qual ocorre a troca de energia entre o casal, pode até mesmo ser incômodo e desconfortável. É o que ocorre nos casos de dores no sexo.

Recentemente, um estudo conduzido por pesquisadores do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas, da Universidade de São Paulo, revelou que as dores no sexo afetam 21% das mulheres sexualmente ativas.

dores no sexo

Pesquisas indicam que dores no sexo afetam 21% das mulheres sexualmente ativas. Foto: Shutterstock

As razões que motivam as dores no sexo podem ser muitas, o que exige, em primeiro lugar, que a mulher possa reconhecer os sinais e procurar um diagnóstico especializado para atacar as causas do problema e evitar a repetição desse desconforto.

Causas de dores no sexo

As dores no sexo se manifestam em mulheres durante a penetração e indicam a existência de um problema, que pode ser físico e psicológico, mas que precisa ser investigado. A intensidade da dor, bem como a sua localização exata, pode variar de mulher para mulher. Por isso, identificar as causas e atuar na prevenção é o mais recomendado. Confira alguns hábitos que podem resultar em dores no sexo:

– Infecções pélvicas: doenças que atingem a mucosa que reveste a vagina podem provocar dor, coceira e ardor. Entre elas, há doenças sexualmente transmissíveis, como a candidíase e a clamídia, e outras de origem urinária, como a cistite.

– Pouca lubrificação: alguns distúrbios hormonais diminuem a capacidade de lubrificação da mulher e, assim, o atrito entre o pênis e a vagina causa dores no sexo. Uma solução nestes casos é utilizar lubrificantes vaginais.

– Endometriose: processo inflamatório do endométrio deixa a região fibrosa e dolorida quando o pênis faz contato com a vagina em suas partes mais profundas.

– Vaginismo: trata-se de um distúrbio de motivações emocionais, na maioria das vezes, que leva o períneo (musculatura que contrai e descontrai a vagina) a ser contraído exageradamente, tornando difícil a entrada e movimentação do pênis.

– Maus hábitos: usar calças muito justas pode gerar irritações e incômodo no clitóris. Outro hábito que pode causar dores no sexo é permanecer sentada por longos períodos, como passar horas em frente ao computador – contrai os músculo pélvicos, diminui o fluxo sanguíneo e pode causar inflamações nos nervos.

– Estresse e TPM: por um lado, os músculos vaginais são muito sensíveis ao estresse; por outro, na tensão pré-menstrual, o útero fica inchado. Relaxar antes de ir para a cama ou apostar em posições confortáveis durante o ato ajuda a evitar dores no sexo.

Enfrentando o problema

O tratamento das dores no sexo dependerá do que está causando o quadro. Se for uma cistite, a doença será tratada com antibióticos e antissépticos urinários. No caso de uma candidíase ou outra DST, os medicamentos devem ser tomados pelo casal. Já na endometriose, a opção pode ser uma técnica cirúrgica chamada videolaparoscopia.

Se a causa for falta de lubrificação, pode ser necessária uma reposição hormonal – especialmente se o fator de origem for a menopausa. No caso de vaginismo, o recomendável é buscar um psicólogo para o tratamento. Este profissional pode ser indicado pelo ginecologista para outras causas de dores no sexo.

Para evitar infecções, procure manter uma higiene íntima adequada, não usar calcinha ao dormir e utilizar um protetor diário. Independente da causa da dor, ao surgimento de qualquer sinal de ardência ou coceira, é recomendável ter abstenção sexual e buscar auxílio médico.

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!

 

Saiba mais:

Problemas para fazer xixi? Aprenda a evitar a infecção urinária e tenha uma vida mais tranquila

Para quê serve o exame de urina?

O que a urina pode dizer sobre a sua saúde

Obesidade na mulher causa problemas na bexiga e leva à incontinência urinária

Saúde da mulher. Corrimento esverdeado: o que pode ser?

Corrimento com mau cheiro: como tratar

Como prevenir a infecção vaginal


[the_ad id="14710899"]
[the_ad id="14710899"]
[the_ad_group id="16404"]