[the_ad_group id="16401"]
Motivação

Ganhar mais dinheiro não deve ser único objetivo profissional. Entenda

Por Redação Doutíssima 18/08/2014

Você já parou para pensar que o trabalho é uma das coisas mais importantes da nossa vida? Realmente, é possível que passemos no mínimo oito horas trabalhando todos os dias, e isso corresponde a um terço do próprio dia, que tem 24 horas.

Ganhar mais dinheiro não deve ser meta

Por isso, ao definir uma profissão, uma carreira ou um simples objetivo profissional, você não deve pensar exclusivamente em ganhar mais dinheiro, mas sim buscar uma atividade que o preencha enquanto pessoa, e faça você levantar todas as manhãs para trabalhar sem aquela sensação de apenas cumprir uma obrigação.

ganhar-mais-dinheiro

Ganhar dinheiro depende de manter-se como um profisional motivado e criativo. Foto: Shutterstock

Muitas pessoas não levam o que falamos acima em consideração e, assim, acabam escolhendo seus novos empregos ou profissões pensando apenas na questão financeira. É algo que talvez traga realizações no curto prazo, mas passados alguns meses, é muitíssimo provável que você aprenda, da pior maneira possível, que ganhar mais dinheiro não é tudo na vida profissional de alguém.

Fatores externos não motivam

Já está mais do que demonstrado que fatores externos relacionados ao trabalho, como ganhar mais dinheiro ou então ter uma aprovação social – exercer uma profissão bem vista no meio em que se vive – não motivam, principalmente aquelas pessoas que são mais inteligentes.

É provável que, se você considerar apenas o retorno financeiro ao pensar sobre um trabalho, chegará um momento em que ganhar mais dinheiro não será suficiente: você perderá a motivação, não gostará do que faz e provavelmente não terá paciência para permanecer oito horas diárias fazendo isso. As consequências são óbvias: o desempenho irá decair, e no fim das contas você acabará perdendo o próprio emprego ou fracassando na sua empreitada – caso ela seja individual.

Quais metas buscar além de ganhar mais dinheiro?

Realização pessoal: pode soar clichê, mas a realização pessoal é uma meta realmente importante ao definir uma profissão ou aceitar um trabalho. Trace metas a nível pessoal e profissional, todas elas possíveis, e lute para conseguí-las.

Reconhecimento: se você buscar sua realização pessoal, certamente pode traçar como meta o reconhecimento social do trabalho que desenvolve. E isso porque quem faz aquilo que gosta certamente será um bom profissional nessa área. Com isso, os demais irão admirar e respeitar aquilo que você está atingindo – independente de você ganhar mais dinheiro ou não – e isso será bom para você desenvolver sua autoconfiança.

Vida social: ter a possibilidade de manter uma vida social também é uma importante meta profissional. Realmente, se pensarmos apenas no trabalho e não tivermos tempo para relações de outros tipos – amizades, amorosas, afeto etc. –, seremos frustrados, e isso irá ter reflexos no trabalho.

Necessidades básicas e segurança: aqui a questão financeira efetivamente ingressa, mas ela não é determinante. Para você ser um profissional tranquilo, deve ter um trabalho que proporcione os recursos financeiros para que você possa ter uma boa saúde, uma alimentação adequada, uma família, uma moradia ou então outra meta que você planeje.

Porém é importante lembrar que a questão financeira de que tratamos não deve ser considerada isoladamente com aquilo que tratamos mais acima, mas sim em conjunto, evitando que se tracem caminhos equivocados na vida profissional.

 

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!


[the_ad id="14710899"]
[the_ad id="14710899"]
[the_ad_group id="16404"]