Clínica Geral

Febre indica uma agressão ao organismo. Saiba mais!

Por Redação Doutíssima 24/10/2014

Impossível encontrar alguém que nunca tenha enfrentado um quadro de febre. Tanto em crianças quanto adultos, é comum que a condição se manifeste em algum momento da vida.

febre

Temperatura alta do corpo é um dos sinais da condição. Foto: iStock, Getty Images

A febre em si não é uma doença. Ela consiste, na verdade, em uma parte importante das defesas do corpo contra infecções. A explicação clínica para isso é que maior parte das bactérias e dos vírus que causam infecções nas pessoas se prolifera melhor a 37°C.

 

Febre mostra luta do corpo contra doença

 

No entanto, ao contrário do que as pessoas pensam, a febre em si não representa um malefício para o corpo. Embora ela indique uma batalha dentro do organismo, a condição luta a favor da pessoa, e não contra ela.

 

Febres não tratadas provocadas por infecções raramente passam de 40,5°C, a não ser que a criança esteja abrigada demais ou em um lugar quente. Por isso, não há risco de lesões permanentes ao corpo se a temperatura não ultrapassar esse limite – acima disso, contudo, há riscos até mesmo de lesões cerebrais.

 

É comum ainda que crianças venham a desenvolver convulsões febris. Entretanto, a maioria dessas convulsões termina rapidamente, não significando que a criança seja epilética, e não há danos permanentes. Febres inexplicáveis, que duram dias ou semanas, são chamadas de febres de origem indeterminada (FOI).

 

O que causa a febre?

 

Praticamente qualquer infecção pode provocar febre. Entre elas é comum destacar algumas infecções comuns como pneumonia, infecções dos ossos, apendicite, tuberculose, infecções de pele ou celulite e meningite.

 

A febre também pode ser sinal de infecções respiratórias, como resfriados ou gripe, infecção de garganta, infecções de ouvido, sinusite, mononucleose infecciosa, bronquite, infecções do trato urinário, bem como gastroenterite viral e gastroenterite bacteriana.

 

Além disso, as crianças podem também ter febre baixa por um ou dois dias após algumas vacinas. Também em casos de renovação ou nascimento da dentição pode acontecer de a temperatura aumentar ligeiramente, porém não mais do que 38°C.

 

Doenças autoimunes ou inflamatórias também podem provocar febre.  Entre esses quadros é possível destacar doenças do tecido conjuntivo, como artrite reumatoide e lúpus eritematoso sistêmico, colite ulcerativa, doença de Crohn e vasculite ou periarterite nodosa.

 

Além disso, o primeiro sintoma de câncer pode ser febre. Isso vale principalmente em casos de leucemia.

 

Podem ainda ser consideradas outras possíveis causas coágulos sanguíneos, tromboflebite e medicamentos como alguns antibióticos, anti-histamínicos e anticonvulsivos. É comum que a febre seja facilmente controlada e não represente maiores problemas de saúde quando apresentada de forma isolada.

 

Porém é indicado que um médico seja procurado em casos específicos, como febres que vêm e vão por uma semana ou mais, mesmo que não sejam muito altas.

 

Também é indicado a procura de profissionais caso o paciente tenha alguma doença grave como problemas cardíacos, anemia falciforme ou fibrose cística, bem como apresentar uma erupção ou aparecerem lesões, sentir dor ao urinar ou ainda em caso de ter viajado recentemente para o exterior sem que houvesse a vacinação indicada para esses casos em específico.

 

 


Sites parceiros