Guia do Câncer

Câncer de mama na amamentação: gesto de amor também é preventivo

Por Redação Doutíssima 02/11/2014

Muito se fala na prevenção do câncer de mama. No entanto, o que muitas pessoas desconhecem é que câncer de mama na amamentação pode ser um ato preventivo, que ajuda a evitar essa doença tão temida pelas mulheres.

cancer-de-mama-na-amamentacao

Dar de mamar ao bebê é uma das formas de evitar a doença. Foto: iStock, Getty Images

É isso mesmo: estudos da Sociedade Brasileira de Mastologia sobre câncer de mama na amamentação alertam que dar de mamar não só beneficia os bebês que recebem o leite, mas também é fundamental para a saúde das mães na prevenção do câncer de mama.

Câncer de mama na amamentação: entenda o caso

A relação entre câncer de mama na amamentação como forma preventiva foi observada a partir da constatação de que a amamentação é uma proteção natural do organismo. Isso significa que mulheres que amamentam por mais de seis meses têm menos chances de desenvolver a doença devido à substituição do tecido glandular por gordura nas mamas.

Além disso, é importante destacar ainda que a mulher que sofre com câncer de mama tem a chance de desenvolver a doença de forma menos agressiva e com melhor prognóstico de cura se amamentar por mais de um ano.

No entanto, a melhor notícia relacionada a dados sobre câncer de mama na amamentação é que os benefícios da amamentação na prevenção da patologia não ficam restritos somente às mães.

De acordo com os últimos estudos desenvolvidos na área da mastologia, os componentes do leite materno fornecem uma proteção contra a doença que se estende até a idade adulta dos bebês do sexo feminino, ajudando a diminuir a incidência deste tipo de câncer nas mulheres.

Cuidados com relação ao câncer de mama na amamentação

Também é importante buscar informações sobre cuidados que a mulher deve ter durante o período de aleitamento para preservar a saúde mamária. Para que a mulher preserve a região e evite uma sensibilidade exagerada, tudo que possa sensibilizar a região deve ser evitado, como o uso de cremes e pomadas.

A explicação disso consiste no fato de que, por hidratar a pele, esses produtos acabam deixando-a mais sensível ao aparecimento de fissuras durante a amamentação. Ainda é aconselhável expor as mamas ao sol e ajudar o bebê a mamar de maneira adequada, o que evitar machucados e a mastite (inflamação das mamas).

É importante também não descuidar dos exames preventivos mesmo em um momento como o da gravidez. Um estudo recente constatou que 55% das mulheres não fazem o exame das mamas durante a gestação.

No entanto, o acompanhamento durante o pré-natal é fundamental e deve ser feito sempre, uma vez que a gravidez não elimina as chances do aparecimento da doença. O ideal é que o exame clínico seja feito uma vez por trimestre.

A amamentação ofusca o diagnóstico precoce do câncer de mama. Portanto, o exame das mamas na gravidez é extremamente importante. Então, se você é gestante ou está se planejando para ter um bebê, saiba que é importante não descuidar dos cuidados com as mamas durante o período gestacional.

Por isso, depois do parto, amamente o seu bebê pelo maior período de tempo possível. A chance de diminuir a incidência do câncer de mama na amamentação é real, e você terá todos os outros benefícios ao seu bebê que só o aleitamento materno pode dar.

 

 


Sites parceiros