Sexualidade

Não dê bandeira: veja como excluir fotos do WhatsApp

Por Redação Doutíssima 27/11/2014

Numa época em que vivemos conectados e os smartphones estão muito presentes no nosso dia a dia, surge também uma nova moda: o envio de imagens eróticas pelo celular. Para não correr riscos, o melhor é excluir fotos WhatsApp de maneira definitiva. Veja abaixo algumas dicas de como fazer isso corretamente.

 

excluir-fotos-do-whatsapp

Compartilhar fotos íntimas pelo WhatsApp exige muita cautela. Foto: iStock, Getty Images

Como excluir fotos do WhatsApp

Quem utiliza o aplicativo, sabe que as conversas podem gerar um acúmulo grande de conteúdo. À medida que você compartilha imagens e vídeos, isso vai sendo salvo em uma pasta. Provavelmente, em pouco tempo, você terá uma quantidade enorme de dados indesejáveis no seu celular, que ocupam muito espaço na memória.

Mas além disso, enviar uma foto nua ou receber imagens eróticas do seu namorado pode parecer algo inocente num primeiro momento. Porém, não excluir fotos do WhatsApp pode trazer complicações e essas imagens podem acabar caindo na rede no futuro (ou por descuido ou por más intenções de um dos envolvidos). Para excluir fotos do WhatsApp, basta seguir alguns passos que não levarão mais do que alguns minutos.

Primeiramente, abra uma conversa com um dos seus contatos ou com um grupo. Se o seu aparelho for Android, aperte a tecla função e clique em “Mídia do Grupo”. Você terá acesso a tudo que foi compartilhado entre seus contatos. Selecione então o conteúdo que deseja deletar, clique na lixeira e confirme a operação. Para excluir toda galeria de uma vez só, através do comando limpar conversa.

Para excluir fotos do WhatsApp através de um iPhone, clique no botão info, no canto superior da conversa, e acesse a pasta “Mídia”. Siga o mesmo procedimento do aparelho Android.

 

Sexting

O nome, que deriva de “sexo” e “texting” (mensagem de texto, em inglês), define essa prática de enviar fotos nuas pela internet. O WhatsApp, que conta com mais de 350 milhões de usuários no mundo, é a forma mais utilizada hoje em dia para o compartilhamento dessas mensagens. Segundo pesquisas, 90% das vítimas que caem na rede são mulheres, expostas em grupos de amigos ou do trabalho.

No Brasil, uma ONG chamada Safernet iniciou uma campanha para conscientizar as pessoas sobre o envio dessas imagens. Segundo a ONG, cerca de 20% dos estudantes brasileiros, entre 15 e 18 anos, já praticaram o “sexting”. Em pesquisa canadense, esse número era ainda maior, chegando a 36%.

O perigo do sexting não se restringe apenas a exposição não desejada de suas imagens. Em muitos casos, pode até acabar em prisão, já que enviar fotos nuas de menores de idade também é considerado pedofilia.

 

Snapchat é alternativa

Se você não abre mão de compartilhar uma foto picante com o seu companheiro pelo smartphone mas não tem certeza se ele vai excluir fotos do WhatsApp, uma boa alternativa é o aplicativo Snapchat. Com ele, você pode compartilhar textos e fotos de qualquer teor, e elas serão destruídas automaticamente depois de alguns segundos. Mas cuidado. O aplicativo não impede que a outra pessoa dê um “print screen” e salve as fotos por esse modo.

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão Doutíssima!


Sites parceiros