[the_ad_group id="16401"]
Sexualidade

Seja consciente: conheça e avalie os riscos ao fazer fotos picantes

Por Redação Doutíssima 25/09/2014

Atualmente, uma das novas manias é fazer fotos picantes. Em um primeiro momento, pode parecer muito tentador. Além de inflar o ego da pessoa, é possível deixá-las armazenadas dentro do seu tablet ou smartphone, colocar senha para isolá-las do acesso de qualquer um, e ainda mostrá-las apenas para quem você quiser. Mas você já avaliou os riscos ao fazer fotos picantes?

riscos-ao-fazer-fotos-picantes

Tirar fotos sensuais pode ser tentador, mas avalie os riscos antes de fazer. Foto: Shutterstock

Fotos picantes são fenômeno moderno

Você certamente já parou para se perguntar sobre como seria viver sem o seu smartphone ou o seu tablet ou, quem sabe, o seu notebook.

Talvez você já tenha se questionado como as pessoas se mantinham “antenadas” sem o Twitter, ou como elas mantinham contato e se relacionavam com outras sem o Facebook. Certamente, também já se indagou como as pessoas retratavam e trocavam suas fotografias sem o Instagram. Mas, você já parou para pensar nos riscos que esses inegáveis avanços benéficos representam na sua vida?

Celebridades são exemplos dos riscos ao fazer fotos picantes

Em 2013, a mídia noticiou bastante o vazamento de fotos sensuais feitas por Carol Portaluppi, na época com 19 anos, filha do ex-jogador e atual treinador de futebol Renato Portaluppi.

Recentemente, houve o vazamento de fotos íntimas da atriz Jennifer Lawrence. A lista não para por aí: Carolina Dieckmann, Anitta e diversas outras celebridades já foram vítimas do vazamento de fotos.

Como se pode ver, ninguém está a salvo dos riscos ao fazer fotos picantes. Ao invés de usar as celebridades e as pessoas conhecidas como modelos para o cabelo e para o corpo perfeito, tome esses casos acima como um modelo para ligar o alerta quanto aos riscos dessas tecnologias.

Como evitar os riscos ao fazer fotos picantes

Sem dúvidas é possível evitar o vazamento de fotos íntimas, diminuindo assim os riscos ao fazer fotos picantes. Porém, é importante lembrar que mesmo tomando todas as cautelas, você provavelmente não estará imune ao ataque de um hacker com profundos conhecimentos em informática.

O mais importante é você ter amplo domínio das redes sociais e das autorizações que estão ativadas ou não em seu smartphone, já que isso evita o envio de fotos por descuido.

Mostra-se ideal, também, que você tenha extrema cautela com o lugar em que irá armazenar os retratos. Quem sabe uma pasta criptografada?

Além disso, não deixe de colocar senhas nesse tipo de arquivo. Com isso, você certamente estará diminuindo consideravelmente os riscos ao fazer fotos picantes.

Essas últimas dicas são extremamente válidas também caso o aparelho seja furtado ou roubado – aí o criminoso dificilmente conseguirá acesso a esse tipo de arquivo. Nesses casos, verifique qual o avanço tecnológico do seu aparelho, já que diversos possuem sistemas que permitem o acesso remoto a ele e a exclusão de todos os arquivos.

E o que fazer quando acontecer?

Você pode fazer tomar todas as cautelas possíveis, mas sempre estará exposta a riscos ao fazer fotos picantes. Caso elas tenham vazado indevidamente, você pode ir até uma delegacia de polícia e registrar ocorrência.

Desde 2013, está em vigor a Lei 12.737/12, conhecida como Lei Carolina Dieckmann, que à época tinha sofrido com o vazamento de fotos íntimas de sua propriedade, que regula essa espécie de crimes digitais.

 

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!


[the_ad id="14710899"]
[the_ad id="14710899"]
[the_ad_group id="16404"]