Clínica Geral

Confira o que fazer para amenizar os sintomas da AIDS

Por Redação Doutíssima 13/12/2014

Os sintomas da AIDS não se apresentam logo após a contaminação. O vírus do HIV pode ficar no organismo sem se manifestar por até 10 anos, sem apresentar as decorrências características da doença.

O vírus fica “dormente”, sob o controle do sistema imunológico do doente. Quando atacado de forma mais agressiva, esse sistema começa a ser fragilizado, fazendo então com que apareçam os sintomas da AIDS.

sintomas-da-aids

Ainda sem cura, doença pode ter sinais controlados. Foto: iStock, Getty Images

Febre alta, perda de peso, diarreia frequente, manchas e erupções na pele, crescimento dos gânglios linfáticos são as primeiras decorrências da doença.

 

Quando a imunidade do corpo começa a enfraquecer mais, podem ocorrer as chamadas doenças oportunistas, como pneumonia, tuberculose, toxoplasmose, hepatite viral, problemas neurológicos, dificuldade de locomoção, câncer de estômago ou intestino, e diversos outros tipos de câncer.

 

Os sintomas da AIDS podem causar confusão com outras doenças e, se não tratados rápida e adequadamente, podem levar à morte.

Lidando com os sintomas da AIDS

Primeiramente, é sempre necessário recorrer a um médico. Apenas um profissional pode encaminhar um tratamento adequado para o combate aos sintomas da AIDS. Como são várias e diferentes, as doenças ocasionadas pela baixa da imunidade precisam ser observadas com cuidado.

 

Não se deve tomar medicamentos sem prescrição e, muito menos, se automedicar. Em geral, podem ser receitados remédios que combatam especificamente cada um dos sintomas. No entanto, apenas o coquetel utilizado no tratamento do HIV é o que permite o reestabelecimento do sistema imunológico e a amenização dos sintomas.

 

Nos sinais iniciais da doença, manter o psicológico preparado é fundamental. Não entrar em pânico, fazer os exames necessários, conversar abertamente com o médico são etapas cruciais para reduzir os sintomas da AIDS.

 

Ele indicará os medicamentos corretos. Como não existe ainda uma cura médica para o HIV, os remédios permitem uma melhor qualidade de vida. A expectativa dos soropositivos tem aumentado significantemente com a administração correta das substâncias.

Medicamentos para reduzir sintomas da AIDS

Entre os remédios que controlam a manifestação do HIV, o mais utilizado é o AZT, a zidovudina, que impede a reprodução do vírus ainda na fase inicial. Também são recomendados o DDI (didanosina), o DDC (zalcitabina), o 3TC (lamivudina) e o D4T (estavudina).

 

O DDI inibe a replicação do HIV, agindo diretamente na síntese do DNA. O DDC retarda a destruição do sistema imunológico. O 3TC inibe a síntese dos ácidos nucléicos. Já o D4T impede a multiplicação do vírus.

 

O problema desses produtos é que causam efeitos colaterais intensos, podendo afetar os rins, o fígado e o próprio sistema imunológico do paciente.

 

Devido ao grande potencial de mutação do HIV, é muito difícil encontrar uma cura ou elaborar uma vacina para a AIDS. No entanto, o controle através dos medicamentos tem se mostrado bastante promissor. Os soropositivos conseguem prolongar a vida e viver com qualidade.

 

Os sintomas da AIDS, no entanto, não são facilmente amenizados. Os portadores do vírus HIV precisam estar conscientes de que cada etapa de tratamento é fundamental e que, seguindo orientações médicas e realizando o tratamento cuidadosamente, podem viver por muito tempo.

 

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão Doutíssima!


Sites parceiros