Além de ser uma árvore que encanta devido à beleza de seus frutos de cor rosa, a aroeira pimenteira também surpreende com os seus benefícios à saúde. Essa é uma árvore que pode ser encontrada em vários continentes, mais é mais comum nos países da América do Sul, principalmente no Brasil.

 

Saiba mais sobre a aroeira pimenteira

 

Você já deve ter encontrado exemplares de aroeira pimenteira em diversos quintais e até em alguns canteiros pelas ruas. Os peruanos, por exemplo, usam a sua seiva como um agente contra germes. Já os argentinos usam-na para doenças respiratórias e irritações do trato urinário. Todas as partes da árvore possuem altos teores de óleos essenciais, que produzem um aroma picante.

aroeira-pimenteira
Tanto os frutos quando as folhas e casca da árvore são aproveitados. Foto: iStock, Getty Images

As frutas dessa árvore também têm um sabor apimentado, e são utilizadas em xaropes, vinagre e bebidas, ou são secas e moídas para um tempero substituto da pimenta. As demais partes dessa árvore também são aproveitadas, devido às suas propriedades medicinais – são encontrados, na planta, compostos como taninos, alcaloides, flavonoides, saponinas esteroides, esteróis, terpenos, e uma grande quantidade de óleo essencial.

O óleo essencial presente nas folhas, cascas e frutas, é uma rica fonte de produtos químicos – mais de 50 constituintes identificados até o momento -, incluindo triterpenos e sesquiterpenes biologicamente ativos.

 

Como aproveitar a aroeira pimenteira

 

Primeiro de tudo, é necessário ressaltar que algumas pessoas têm alergia a essa planta. Apesar disso, a aroeira pimenteira tem sido utilizada há muitos anos como um remédio de cura. Sua casca, sementes, frutas e até mesmo folhas são utilizadas para curar e amenizar muitas doenças.

Os remédios populares incluem uma tintura com líquido da casca, usado como um estimulante e tônico. Também é comum ser utilizado como um diurético e para o tratamento de tumores. Muitas pessoas também usam a aroeira pimenteira como um método de cura, usado topicamente para a gota e a sífilis, bem como em casos de reumatismo.

As folhas e frutas são também adicionadas a banhos ou compressas, para ajudar a curar feridas abertas ou úlceras sobre o corpo. Um fato interessante sobre as folhas é que, quando são colocadas em água quente, elas se comportam como se estivessem vivas e em movimento, enquanto o óleo está sendo liberado. A árvore ainda é popular, no Brasil, no tratamento de problemas de coração, distúrbios menstruais, inflamação e hipertensão.

Em testes científicos, o óleo essencial da aroeira pimenteira, bem como o extrato das folhas e da casca mostrou ter potentes propriedades antimicrobianas e uma ação combativa a inúmeros tipos de fungos – o que faz dele um ótimo remédio natural contra a candidíase.

Em um estudo realizado pela Universidade Federal de Pernambuco, os pacientes com vaginose receberam uma pomada contendo um extrato de árvore aroeira pimenteira e, depois de apenas sete aplicações consecutivas, 21% delas relataram uma melhora. Mas o mais encorajador é que os efeitos colaterais adversos foram ligeiros e raros.

É possível usar os frutos tranquilamente na culinária, mas as folhas devem ser preparadas por uma infusão, e a casca é melhor consumida como uma tintura de álcool. Este remédio tradicional também é usado como um tônico para o coração e para curar o batimento cardíaco irregular.

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão Doutíssima!


DEIXE UMA RESPOSTA