Saúde

Septicemia: entenda o que é e como identificar os sintomas

Por Redação Doutíssima 06/03/2015

A septicemia, sepse ou sépsis é mais conhecida como infecção generalizada. De alto risco, pode levar o paciente ao coma e também à morte.

septicemia

Queda de pressão, calafrios e enjoos podem ser sintomas de infecção generalizada. Foto: iStock, Getty Images

Pode ser provocada por vírus e fungos, no entanto, os maiores causadores da infecção são as bactérias provenientes da pneumonia, da meningite e de infecções do trato urinário.

Febre alta e sem controle é um sinal de alerta importante e que ser deve ser investigado pelos médicos.

 

Sintomas de septicemia

 

A palavra septicemia vem do grego e significa que gera putrefação do sangue. Geralmente, começa com uma infecção localizada e devido às condições imunológicas do paciente, que estão comprometidas, espalha-se pelo corpo todo usando o sangue como meio de transporte.

Por isso, a febre alta e persistente é um sintoma que deve ser considerado. Quando o sistema de defesa aumenta a temperatura do organismo é porque ele está tentando combater um agente infeccioso.

A infecção apresenta um gama de sintomas, que podem confundir os médicos. São eles: fraqueza muscular, queda da pressão arterial, calafrios, tremores, arrepios, enjoo, vômitos, diarreia, aceleração cardíaca, taquipneia,taquicardia, surgimento de ínguas no pescoço, axilas e virilha.

Além de erupções na pele, alteração do nível da consciência e da circulação periférica, convulsões, diminuição da urina, coagulação intravascular disseminada, hipoglicemia e hipocalcemia.

Alguns pacientes com infecção generalizada apresentam, ao invés de febre, queda brusca da temperatura, mas que acaba tendo a mesma função do aumento da temperatura.

 

Como é feito o diagnóstico de septicemia

 

O diagnóstico de septicemia não é simples, exige exames específicos. Quando mais precoce for a descoberta da infecção generalizada, melhor para a evolução positiva do quadro clínico do paciente.

Para diagnosticar a infecção, os médicos pedem radiografia, tomografia computadorizada, punção lombar e análise de sangue e de urina.

A análise das culturas feitas a partir do material coletado nos exames permitem à equipe médica identificar qual micro-organismo é o causador da infecção. Isso é importante para saber qual o antibiótico será administrado no tratamento.

 

Como é feito o tratamento da infecção

 

No passado, a maioria das pessoas que desenvolviam septicemia morria, isso devido à ineficiência dos medicamentos usados na época. Hoje em dia, a descoberta de novos antibióticos proporcionou tratamentos mais eficazes e capazes de curar os pacientes.

Os cuidados hospitalares também contribuíram para o aumento do nível de cura. Entretanto, os índices de morte são altos em pessoas idosas e em pessoas imunodeprimidas.

 

O tratamento para septicemia  é feito basicamente com a administração de poderosos antibióticos, no entanto, o início da terapia não é feita com a medicação direcionada ao agente causador.

O exame que mostra qual o micro-organismo patogênico leva cerca de quatro dias para ser liberado. Assim que a equipe médica tem o resultado, o medicamento adequado passa a ser administrado.

 

Devido à gravidade que a infecção representa ao organismo, os pacientes  são tratados em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Neste local, é possível verificar os sinais vitais com frequência adequada, a alimentação é feita de maneira diferenciada e, ao menor sinal de piora, uma equipe médica é deslocada.

 

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!


Sites parceiros