O ultrassom 3D é uma maneira de atender o desejo de muitos pais. Depois da confirmação da gravidez, tudo o que se quer é o máximo de informações sobre o bebê e também o maior número de imagens que for possível. Através do ultrassom, familiares, amigos e os ansiosos papai e mamãe têm os primeiros contatos visuais com o filho.

Além de mostrar condições gerais do feto, o ultrassom 3D possibilita saber o sexo do bebê na maioria das vezes. As estruturas gerais do corpo também são conferidas e avaliadas por meio desse exame. Através dele, os médicos vão perceber se há sinais de alguma doença, bem como uma possível má formação do feto.

ultrassom 3d
Método de ultrassom pode mostrar condições do feto, sexo e se há sinais de doença. Foto: iStock, Getty Images

Um exemplo é um estudo realizado pelo obstetra Guilherme Rezende na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). O ultrassom 3D foi utilizado para identificar hipoplasia pulmonar letal no período pré-natal. Ao estudar fetos que corriam o risco de desenvolver a doença, ele constatou que o exame foi capaz de prever a ocorrência da hipoplasia em 88,2% dos casos.

Ultrassom 3D possibilita visualizar detalhes

Por meio de imagens em três dimensões, as avaliações mais detalhadas para os médicos levam a diagnósticos e eventuais alterações internas que podem comprometer órgãos, articulações, vasos sanguíneos e músculos do bebê que está se preparando para chegar.

Apesar de proporcionar uma visão em três dimensões do bebê, com imagens bem realistas, essas são estáticas, como numa fotografia. Já o ultrassom 4D vai proporcionar as mesmas imagens só que em movimento.

O ultrassom 3D e o ultrassom 4D possibilitam uma completa visão da anatomia do feto, em tempo real. Esses recursos costumam causar grandes momentos de emoção especialmente por parte dos pais. A diferença dessas duas técnicas em relação ao exame de ultrassom comum é a maneira como o aparelho vai dividir e mostrar as imagens capturadas.

 

No método mais comum de ultrassom, diferente do ultrassom 3D, é possível ver apenas os órgãos internos da criança, bem como seus ossinhos. Nos outros exames, como no 3D, é possível enxergar toda a pele do feto.

Para resultar nas imagens em três dimensões, as fotos são captadas de acordo com o modo convencional. Em seguida, são cortadas em um sensor próprio para esse fim, que irá cortar e construir cada imagem em 3D ou 4D.

Ultrassom 3D e a tecnologia

O tempo de duração do exame é o mesmo para qualquer tipo de exame ultrassom, assim como os procedimentos. Outro aspecto comum a eles é o tipo de tecnologia, cada vez mais avançada para permitir a melhor visualização do bebê.

 

Mas, apesar da precisão que os exames oferecem, pode acontecer, às vezes, de o médico não obter tanto sucesso. Há fatores que desfavorecem a análise do ultrassom: bebê virado de costas ou com a mão no rosto, e se o líquido amniótico estiver um pouco turvo.

Os ultrassons, 3D ou 4D, podem ser feitos em qualquer fase da gravidez, mas os especialistas sugerem que sejam realizados a partir da 26ª ou 29ª semana. É nesse estágio que o bebê tem mais tecido e já apresenta formação óssea. Depois disso, é mais difícil capturar imagens porque ele cresce e toma cada vez mais espaço no útero.

 

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!


DEIXE UMA RESPOSTA