Para quem quer ter os músculos dos membros superiores definidos é preciso investir em um bom treino para peito. Trabalhar esses músculos não é fácil, principalmente se você está fazendo isso de forma incorreta. O crescimento dos músculos depende de vários fatores, que muitas vezes são esquecidos pelos entusiastas da musculação.

Antes de pensar em exercícios, é preciso entender a anatomia do corpo e quais os músculos que devem ser trabalhados. O peito é um grupo muscular – os diferentes músculos que trabalham juntos para executar uma ação – da parte superior do corpo.

treino para peito
Ao fazer treino para peito é importante buscar ajuda de um profissional capacitado. Foto: iStock, Getty Images

O principal músculo do grupo muscular do peito é o peitoral maior, composto de duas partes, a superior – que se origina a partir da clavícula – e a inferior – que se origina a partir do esterno. Há ainda o peitoral menor, que é um pequeno músculo triangular localizado nas profundezas do peitoral maior.

 

Para que o treinamento seja eficaz, é preciso buscar um treino para peito que exercite todos eles.

 

Como deve ser um treino para peito?

Existem dezenas de bons exercícios para construção e definição dos grupos musculares do peito, mas poucos são seguros e eficazes. Além disso, é preciso definir o melhor método considerando seu tempo e possíveis limitações.

 

De acordo com especialistas em fitness, alternar os exercícios a cada duas semanas talvez seja o segredo para obter ganhos contínuos de um treino para peito. Por outro lado, os exercícios são bastante específicos e não raro são executados de forma incorreta.

 

Por todas essas razões, é importante buscar um profissional capacitado para orientá-lo corretamente nessa empreitada. Não tente fazer os exercícios por conta própria, já que o resultado pode ser inverso o que você esperava.

 

Principais erros em um treino para peito

Há erros muito comuns cometidos por pessoas que buscam trabalhar o grupo muscular do peito. Quer conhecê-los para não cometer alguns deles? Confira abaixo quais os mais frequentes.

 

Muito peso

É comum para aqueles que trabalham o peito basearem sua evolução pelo quanto de peso puxam no supino. Não é raro, nas conversas de academia, ouvir a pergunta “quanto você puxa no supino?”. Pois bem, esse é um erro comum porque no fim das contas o praticante foca mais na quantidade de peso que consegue mover do que no movimento.

 

É preferível usar um peso mais leve e trabalhar corretamente os ombros e o tríceps, do que usar um mais elevado e tentar executar o exercício de qualquer forma.

 

Treino em excesso

Você deve focar apenas no treino para peito se realmente estiver precisando. Muitas pessoas acabam focando apenas nesse tipo de treinamento, mesmo quando não é necessário, e esquecem do restante do corpo – que também deve ser trabalhado. Esse é um erro muito comum entre os praticantes.

 

Praticar apenas em aparelhos

Os aparelhos facilitam a vida, mas é um erro limitar seu treino para peito apenas a eles. É bom também usar halteres, que dão maior flexibilidade de movimento e permitem que o exercício se ajuste com perfeição ao seu corpo. Lembre-se que os aparelhos possuem posições e ângulos pré-determinados e nem sempre funcionam para todas as pessoas.

 

Esquecer das costas

De acordo com especialistas, algumas áreas do corpo crescem no mesmo ritmo. É o caso do peito e das costas. Se você treinar apenas o peito e esquecer as costas, o crescimento ficará limitado.

 

 

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!


DEIXE UMA RESPOSTA