Motivação

Ambição: saiba até quando ela faz bem a você

Por Redação Doutíssima 03/06/2015

É comum as pessoas associarem a palavra ambição a atitudes negativas ou mesquinhas. Mas não é sempre assim. O sucesso está atrelado a esse termo e pessoas ambiciosas não são necessariamente aquelas que trapaceiam e agem de má fé, fazendo de tudo para alcançar seus objetivos.

 

A explicação é da psicóloga Katia Ricardi de Abreu, que afirma: a ambição pode ser saudável quando está ligada à ética e a valores fundamentados na ecologia humana. Querer crescer e se desenvolver é algo saudável.

ambicao

Pessoas ambiciosas podem se desenvolver profissionalmente de forma saudável. Foto: iStock, Getty Images

Conceito errado de ambição

Ela diz considerar um erro quando se atrela o conceito a ficar rico, e, a qualquer preço, ganhar dinheiro. De acordo com ela, esse conceito não precisa estar ligado a dinheiro. “As pessoas que estão como voluntárias na Ásia, após o fenômeno tisunami, têm a ambição de ajudar os necessitados”, afirma.

No mundo dos negócios, todo empreendedor precisa ser ambicioso, isso deve fazer parte de seu perfil. Para que o empreendimento dê certo, cresça e prospere, o dono do negócio não pode se acomodar nunca.

“Ele precisa querer cada vez mais. O dinheiro pode ser uma das consequências da ambição. O reconhecimento pode vir através de outras gratificações que eu chamo de altruísta”, completa a psicóloga.

Já quando os ambiciosos agem com egoísmo, tentam fama ou dinheiro a qualquer preço, o processo começa a dar sinais negativos. O primeiros deles é o ambicioso se machucar. Ele não tem a paz interior necessária para continuar seus projetos.

“Nunca estão satisfeitas com os resultados, não porque são empreendedoras, mas porque a ambição está fundamentada em conseguir resultados através do outro, e não através de seus próprios méritos”, diz Kátia.

Esse tipo de ambicioso, acrescenta, é o tipo de pessoa que não se prepara, mas busca estar muito perto de quem o faz para “pegar uma carona”. Ou ainda podem vincular o seu crescimento no não crescimento do outro.

 

Katia faz uma comparação com um atleta e um executivo. O primeiro, quando vai para uma olimpíada e ganha uma medalha de ouro, vibra e se emociona porque sabe o quanto se preparou para estar no lugar mais alto do pódio.

Já no universo corporativo, quando se estuda, faz curso, pesquisas e leituras, atento ao novo, não se tem ideia do que se vai encontrar. “Não temos ideia se alguém vai notar ou valorizar que temos este preparo”, afirma.

Oportunidade de ambição saudável

A oportunidade de colocar em prática tudo que foi construído dia a dia é uma questão de tempo, de acordo com a psicóloga, pois sempre há alguém, em algum lugar, precisando de um profissional preparado.

“Aquele que faz o navio andar porque sabe dar a martelada certa no lugar certo na primeira martelada, para não perder tempo, para o navio chegar logo ao seu destino. E o resultado disso é o prazer, a satisfação de ter conseguido chegar a algum lugar”, destaca.

Isso quer dizer que o indivíduo pode liberar-se internamente para ser ambiciosamente saudável e, dessa forma, construir sua vida em direção ao bem-estar.

“Aquele lugarzinho dentro de nós deliciosamente confortável, porque faz com que coloquemos a cabeça no travesseiro com a tranquilidade de estarmos contribuindo para que o mundo seja melhor”, afirma.

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!


Sites parceiros