O preservativo ainda é o anticoncepcional masculino mais difundido no mercado. Por anticoncepcional, é preciso considerar qualquer método, dispositivo ou medicamento utilizado para prevenir a ocorrência de gravidez.

 

Enquanto as mulheres têm um leque de opções anticoncepcionais, como pílulas de dois tipos (de uso contínuo e do dia seguinte), implantes, DIU, diafragma e a camisinha feminina, para o homem restam poucas alternativas. Porém, elas vão além do preservativo.

anticoncepcional masculino
Os métodos anticoncepcionais para os homens são menos invasivos no organismo. Foto: Shutterstock

Opções de anticoncepcional masculino

No caso dos homens, as opções disponíveis atualmente no mercado são pouco ou nada invasivas a longo prazo, diferente de alguns anticoncepcionais femininos que envolvem a liberação constante de hormônios no organismo. Conheça três delas:

1. Camisinha

É o método anticoncepcional mais tradicional e barato do mercado. Além de ser um anticoncepcional, o preservativo protege os envolvidos de doenças sexualmente transmissíveis.

Apesar da popularidade e facilidade de uso, a camisinha não é completamente segura. Quando colocada de maneira correta no pênis, ela é um anticoncepcional masculino 98% eficaz. Mas o uso incorreto e a combinação com alguns lubrificantes não compatíveis com o látex, material de que é feita a camisinha, podem causar seu rompimento.

2. Vasectomia

É uma cirurgia que interrompe o canal que leva os espermatozoides até o pênis, impedindo que eles saiam do corpo, agindo como anticoncepcional masculino totalmente seguro. Sendo assim, após a cirurgia, o sêmen não terá mais nenhum espermatozoide em sua composição, impossibilitando a fecundação de óvulos.

Os vasos deferentes, responsáveis pelo transporte, são cauterizados ou cortados e amarrados em um procedimento rápido e com anestesia local. Não é necessária a internação para uma cirurgia simples como essa e que não oferece riscos nem dores ao paciente.

Após a cirurgia, o corpo do homem continua produzindo espermatozoides como sempre, mas como esses não têm para onde ir, portanto, são reabsorvidos pelo corpo. A vasectomia é reversível, porém sua eficiência diminui com o passar dos anos após a primeira cirurgia.

3. Coito interrompido

A prática de ejacular fora do ambiente vaginal é, de todos os citados, o mais inseguro como anticoncepcional masculino. Isso porque mesmo antes da ejaculação, o homem expele um líquido lubrificante que pode conter espermatozoides. Além disso, esse método não protege contra doenças sexualmente transmissíveis.

Medicamento anticoncepcional masculino

Ainda não disponível no mercado, a pílula como anticoncepcional masculino pode estar ao alcance de todos em alguns anos.

De acordo com o site do Serviço Nacional de Saúde do Reino Unido (National Health Service), o medicamento administrado pelos homens seria capaz de impedir, temporariamente, a produção de espermatozoides saudáveis.

Um medicamento que já está em fase de testes clínicos é o Vasalgel, do laboratório Parsemus Foundation. O método é livre de hormônios e funciona de maneira similar a uma vasectomia. Uma substância gel é injetada nos vasos condutores dos espermatozoides, bloqueando o caminho.

Uma das vantagens desse método é a reversão, que pode ser feita com a injeção de outra substância, capaz de eliminar o gel, abrindo novamente o caminho. A eficácia, duração e outros fatores ainda não foram divulgados pelo fato de o medicamento ainda estar em fase de testes.

 

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!


DEIXE UMA RESPOSTA