Mesmo que ainda balbuciem as primeiras palavras, as crianças possuem o potencial de aprender novas expressões e outros idiomas com maior facilidade, principalmente por meio da audição. Por isso, o momento de investir em uma educação bilíngue para o seu filho é durante a infância.

É nesse período de constante aprendizado em que o cérebro realiza milhares de conexões para desenvolver e conquistar habilidades. Confira os benefícios e cuidados ao inserir um novo idioma na linguagem da criança.

educacao-bilingue-doutissima-shutterstock
Compreender e comunicar-se em mais de uma língua pode estimular a criatividade. Foto: Shutterstock

 

Vantagens da educação bilíngue para crianças

Durante um estudo realizado em 2011 por pesquisadores da Universidade de Granada, na Espanha, o bilinguismo foi apontado como ferramenta fundamental para a memória e atenção.

Após promover atividades com pessoas bilíngues, a pesquisa mostrou que aqueles que dominavam mais de um idioma os ativavam simultaneamente para realizar tarefas, mesmo quando a situação solicitava apenas uma das línguas.  

Além disso, o estudo verificou que os bilíngues são capazes de trabalhar melhor para tomar decisões e são menos distraídos. A educação bilíngue promove ainda a flexibilidade cognitiva, o pensamento divergente, o desenvolvimento do raciocínio lógico e de habilidades verbais.

Compreender e comunicar-se em mais de uma língua também pode estimular a criatividade, elevar a autoestima, desenvolver flexibilidade e adaptação e melhorar as habilidade interpessoais e sociais da criança. Ser bilíngue também traz benefícios para a futura vida profissional dos pequenos, uma vez que o mercado de trabalho exige e valoriza cada vez mais funcionários capacitados em mais de um idioma.

Cuidados ao inserir um novo idioma na vida do filho  

Apesar de apresentarem maior facilidade em aprender rápido, é preciso dar atenção a alguns pontos ao optar pela educação bilíngue de seu filho. Um dos momentos mais delicados de diálogo entre dois idiomas é durante a alfabetização.

É durante esse período que a criança passa pelo processo de aprendizagem da codificação e decodificação da língua escrita portuguesa. Ao ingressar em uma escola que oferece outras línguas, é preciso considerar se a alfabetização das duas ocorrerá ao mesmo tempo ou se o foco será o português brasileiro.

Por isso, é importante prestar atenção no desempenho da criança quanto à língua portuguesa. Se com mais de 4 anos de idade ainda fala com dificuldades, tem atrasos e problemas de aprendizagem, é melhor esperar um pouco para apresentar uma nova língua.

É por tal motivo que não existe um momento exato para optar pela educação bilíngue, mas sim, perceber todos os aspectos e comportamentos cognitivos da criança antes de tomar uma decisão. Para evitar trocas de letras e mistura de idiomas, o ponto de partida indicado é entre os 3 e 4 anos.

Um dos pontos a serem estudados também é o local onde o seu filho será ensinado. Escolas internacionais de idiomas oferecem a oportunidade de obter um diploma internacional, além de estarem habilitadas para ensinar o currículo de um outro país. Isso permite que os estudantes egressos possam ser aceitos por universidades estrangeiras com mais facilidade, por exemplo.

Enquanto isso, uma escola regular bilíngue se caracteriza por usar no mínimo dois idiomas para ministrar disciplinas tradicionais. Além disso, o ensino segue o currículo nacional, apenas complementado pelo internacional.

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar! 


DEIXE UMA RESPOSTA