Qualidade de vida

Cofrinho em alta: aprenda a economizar em época de crise

Por Redação Doutíssima 11/11/2015

Diante do cenário de crise econômica no Brasil, os preços sobem, o salário estagna e a alta cota do dólar assusta quem depende da moeda. Por tal motivo, é importante que o cofrinho de casa esteja preparado para enfrentar situações que exigem corte de gastos e economias.

Dicas para economizar em casa

Cristian Miguel, consultor financeiro, aponta ações que podem mudar o rumo financeiro da família. Confira a seguir.

cofrinho istock getty images doutíssima

Algumas ações simples de economia podem mudar o rumo financeiro da família. Foto: iStock, Getty Images

 

Organização

Saiba exatamente o quanto pode gastar, como manter ordem nas contas e dividir sua renda em: 50% para gastos essenciais como contas de água, luz, comida, aluguel, 30% para gastos exigidos como financiamento do carro, cartão de crédito, 10% para gastos pessoais como sair para restaurantes, comprar presentes e 10% para guardar.

 

Pesquisa

De acordo com o profissional, o comércio apresentam inúmeras opções para vários tipos de consumidores. “Se você ganha pouco, não adianta ir ao shopping mais caro, ou fazer a compra de alimentos no maior supermercado da cidade. Uma pesquisa rápida pode mostrar as alternativas e ofertas de cada estabelecimento. A procura por pequenas lojas tem crescido bastante, pois a negociação na hora da venda é mais fácil”, esclarece.

 

Conscientização

Segundo o consultor, a dica é fugir das propagandas, pois a todo o momento somos seduzidos por ofertas e promoções que nos instigam a gastar o que não temos. “Respirar fundo e pensar duas vezes é o melhor a fazer. Além disso, procurar por diversão grátis como um passeio nos parques, praças e zoológicos. O gasto é mínimo ou inexistente e pode render uma boa diversão para a família”, aponta.

 

Aprendizado

Para Miguel, o ideal é que todos aprendessem desde crianças pequenas lições de economia doméstica, que ao fim do mês podem fazer a diferença. Como exemplo, ele aponta: apagar a luz, fechar a torneira, comprar em atacados, ir ao mercado com uma lista do que realmente precisa e diminuir dívidas.  

 

Evitar

 

O profissional aconselha a evitar gastar mais do que ganha, assim como usar reservas financeiras, comprar por impulso, comprar à prazo e buscar empréstimos. Além disso, se esquivar de supérfluos, quitar dívidas ao invés de gastar o 13º salário, e evitar ter mais de um cartão de crédito podem contribuir para a situação econômica da família.  

 

Aprenda e ensine a usar o cofrinho

De acordo com o consultor, o cofrinho ainda é a melhor maneira de implantar a educação econômica. Para os adultos, o uso pode significar aquele valor do salário que vai para a poupança ou o que sobrou no fim do dia como apoio futuro.

Para educar financeiramente as crianças, o profissional aconselha os pais a explicar aos pequenos o valor do dinheiro, demonstrando como é difícil ganhar e como é fácil perder. Como exemplo, dar R$ 1 por um feito bom e cobrar uma “multa” por um feito errado. Miguel aposta nos limites e colaboração de todos, como tarefas sem usar mangueira e gasto de menos de 10 minutos no banho.

“Muitas pessoas não conseguem manter dinheiro no banco e acabam gastando. Com o cofrinho, aquele de gesso mesmo e com uma única entrada, você não verá o quanto tem lá dentro e certamente conseguirá economizar um bom dinheiro. Quem sabe em algum momento você poderá ter mais do que um cofrinho, quem sabe você até possa ter um caixa-forte”, acrescenta.

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar! 


Sites parceiros