Você já pensou em slingar seu bebê? Pois saiba que os slings são capazes de facilitar – e muito – tanto a vida dos papais quanto a dos pequenos, possuindo inúmeras vantagens. Esses carregadores de pano já são usados em diversas culturas ao longo dos séculos e, nas últimas décadas, têm se tornado populares ao redor de todo o mundo.

 

Slingar tem benefícios para mãe e bebê

Os slings são carregadores de bebê projetados para que ele fique junto ao corpo da mãe ou cuidador, aliviando a pressão sobre braços e costas. Embora existam vários tipos de carregadores no mercado, os slings se diferenciam porque não possuem qualquer abertura para as pernas da criança.

slingar istock getty images doutíssima
Slings são carregadores de bebê projetados para que ele fique junto ao corpo da mãe. Foto: iStock, Getty Images

Slingar significa é o verbo criado para usar esse tipo de carregador, capaz de facilitar a vida dos pais por muitas razões. Quer alguns exemplos? Com ele você pode ter suas mãos liberadas para lavar louça, ler livros, pagar contas, empurrar o carrinho de compras e até brincar com seus outros filhos. Acontece que os benefícios não param por aí.

 

De acordo com um estudo canadense publicado na revista Pediatrics, slingar durante três horas diárias é capaz de reduzir significativamente o choro do bebê: 54% à noite e 43% no geral. Isso ocorre porque o contato físico permite às mães liberarem o hormônio chamado ocitocina, que é responsável pela produção do leite materno.

 

Como usar os slings

Ao comprar um sling é importante descobrir qual o modelo que atende suas necessidades. Caso conheça alguém que já usou o método, vale a pena pedir emprestado e testar antes de fazer a escolha.

 

Um dos mais famosos é o “Sling Wrap”. Ele é feito de longos pedaços de tecido que envolvem tanto você quanto o bebê. Como são várias camadas ao redor do pequeno para garantir o apoio adequado, ele pode ser desconfortável em climas quentes. Você pode usá-lo na frente, no quadril, nas costas e amarrado de formas diferentes.

 

Há também o modelo “Mei Tais”, carregador estilo asiático. Ele consiste em uma peça de tecido quadrada ou retangular com quatro cintas – que são amarradas na cintura da mamãe e ao redor dos ombros, formando um bolso para a criança. É possível usá-lo na frente, no quadril e nas costas.

 

Um outro tipo muito comum são os slings que vêm com anéis – usados sobre o ombro. Aqui o pano é amarrado através desses anéis e pode ser utilizado principalmente na frente. É uma das melhores alternativas para quem deseja algo rápido e compacto.

 

Qualquer que seja o modelo escolhido, é importante ter cuidado ao slingar. Os músculos do pescoço dos bebês são fracos e não têm a capacidade de controlar suas cabeças durante os primeiros meses de vida – cuide bastante desse aspecto.

 

Caso o tecido pressione o nariz e a boca do pequeno, é provável que ele seja incapaz de respirar e asfixie. Procure manter o rosto da criança descoberto em todos os momentos e evite que ela fique enrolada em posição “C” – quando o queixo toca no peito e bloqueia as vias respiratórias.

 

É preciso buscar aconselhamento médico para usar o método em recém-nascidos prematuros, de baixo peso ou com resfriado. Além disso, verifique regularmente a criança para garantir que ela não tenha deslizado e coberto boca e nariz. Tenha em mente também que você deve comprar um produto de qualidade, que proporcione mais segurança tanto para a mamãe quanto para o bebê.

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!