A Organização Mundial da Saúde (OMS) lançou recentemente um alerta em relação aos alimentos embutidos. Segundo uma pesquisa feita pela Agência Internacional de Pesquisas sobre o Câncer (Iarc), embasada por mais de 800 artigos, o consumo dessas substâncias aumenta em 18% o risco de câncer. Nesse cenário, o bacon artesanal surge como opção.

A nutricionista Alice Bayer Monteiro explica que o bacon artesanal é aquele feito em casa, a partir da carne de porco. “A diferença para o comercializado é que ele é mais natural, pois possui menos aditivos químicos e conservantes”, aponta. Dessa forma, para quem não abre mão do ingrediente, representa uma alternativa mais saudável.

bacon-artesanal-doutissima-istock-getty-images
Bacon artesanal é mais natural por possuir menos aditivos químicos e conservantes. Foto: iStock, Getty Images

Vantagens e desvantagens do bacon artesanal

Em relação aos prós e contras do bacon artesanal, Alice conta com algumas recomendações. “O bacon comum tem conservantes, estabilizantes, antioxidantes, espessantes, corantes e realçadores de sabor. O artesanal é melhor justamente por não conter tantos aditivos”, esclarece.

Mas isso não significa que o bacon artesanal possa ser consumido sem moderação. “A receita feita em casa, além da carne, possui açúcar e sal de cura: nitrito ou nitrato de sódio. Esses ingredientes também têm potencial cancerígeno”, adverte. Por isso, o importante é moderar na quantidade.

Os embutidos se tornam prejudiciais à saúde somente quando são consumidos diariamente. “O principal é não comer com frequência. Se a ingestão for eventual, não vai trazer riscos”, destaca. O problema, segundo Alice, é que as pessoas estão comendo embutidos diariamente, em mais de uma refeição. Nesse caso, é preciso ter cuidado.

Em relação ao alerta da OMS, a nutricionista também faz alguns esclarecimentos. “A Iarc descobriu que o consumo de 50 g de embutidos aumenta 18% o risco de câncer colorretal. Os alimentos aos quais eles se referem são especialmente os preparados com carnes: salsicha, presunto, linguiça, carne enlatada e carne seca”, diz.

Porém, na realidade, Alice lembra que embutidos são todos aqueles elaborados a partir de proteína transformada por fermentação, defumo ou qualquer técnica para realçar sabor e melhorar a conservação. “O potencial cancerígeno desses produtos está justamente nos aditivos químicos usados com esses propósitos”, enfatiza.  

A nutricionista acredita que o alerta seja uma boa oportunidade para as pessoas repensarem a alimentação. “Não deve ser motivo de pavor, mas é uma boa chance para lembrarmos que quanto mais natural o cardápio, melhor”, conclui.

Dicas para substituir o bacon

Se você deseja adotar uma alimentação mais saudável e excluir o bacon da dieta, é possível seguir algumas dicas. “Para comer com pães, minha sugestão é substituir o ingrediente por queijos quark e cottage, mel ou geleias light”, explica Alice.

De acordo com ela, o ovo cozido e o frango desfiado já são opções muito mais saudáveis do que os embutidos. Mas não é necessário eliminar o bacon para sempre. Basta fazer trocas inteligentes eventualmente.

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!