Queima de calorias intensa, dinamismo e trabalho muscular são alguns atrativos que fazem do treino funcional um dos maiores queridinhos do universo fitness na atualidade. Ao estimular diferentes partes do corpo, ele melhora o condicionamento físico e promete resultados positivos tanto para a saúde quanto para o aspecto estético.

Baseado em movimentos funcionais básicos e simples do nosso cotidiano, tais como agachar, puxar, levantar e girar, o circuito funcional conquista o coração de quem gosta de praticar exercícios de uma forma diferenciada para alcançar os seus objetivos. Famosas como Ivete Sangalo, Carolina Dieckmann e Sabrina Sato já aderiram.

Treino funcional
Treino funcional trabalha o corpo como um todo. Foto: iStock, Getty Images

Entenda como funciona o treino funcional

Segundo o personal trainer Brundo D’Orleans, não é só a força que é trabalhada no treino funcional. “Diversas valências também são estimuladas durante uma sessão de treinamento. Agilidade, coordenação, equilíbrio, lateralidade, reflexo, condicionamento cardiorrespiratório e resistência são algumas delas”, explica ele.

Durante a aula, os exercícios podem ser potencializados com auxílio de equipamentos básicos, como elásticos, bolas e plataformas. Outra vantagem é que os treinos podem ser feitos tanto em centros especializados, como academias, quanto em praias ou parques, ao ar livre.

Além disso, é possível executar aulas dinâmicas com enfoque em diferentes estímulos e prioridades. Uma possibilidade é fazer um treinamento com foco na musculatura do tronco, que é utilizada como base para qualquer movimento, inclusive os que envolvem braços e pernas.

Os exercícios para pernas e braços também costumam estar sempre presentes nos circuitos funcionais. Mas Bruno destaca que, dentre todas, a musculatura mais exigida é o abdômen. Isso por conta da postura e posicionamento que o corpo precisa adotar para uma boa execução dos exercícios.

“O abdômen é estimulado e recrutado durante qualquer exercício realizado no treino”, enfatiza. Na prática, a aula consiste em uma combinação de atividades somada ao formato dinâmico das estações, nas quais cada grupo de pessoas realiza a atividade durante determinado período de tempo e troca ao comando do professor.

Os treinos geralmente são curtos, com duração média de 30 minutos. Mas por se tratar de uma modalidade de explosão, estimula as capacidades físicas e habilidades motoras do corpo humano, o que permite que o metabolismo permaneça acelerado mesmo após o fim da atividade. Isso significa que o organismo queima mais calorias, inclusive, em repouso.

Por que aderir ao treino?

De acordo com D’Orleans, o treinamento funcional tem eficiência comprovada – e não é um modismo. “Certamente veio pra ficar, ao contrário do que muitos dizem”, pondera. Mas o profissional ressalta que a adequação à modalidade varia para cada aluno. Por isso, os objetivos devem ser avaliados de maneira criteriosa.

“Tem alunos que não se adaptam, outros adoram. Alguns objetivos são facilmente alcançados, de forma mais rápida do que com treino convencional, outros necessitam de uma atividade complementar”, finaliza o especialista. Que tal experimentar?

E aí, o que achou do artigo sobre treino funcional? Deixe o seu comentário!