[the_ad_group id="16403"]
Clínica Geral

Sintomas do climatério: como tratar sem hormônios

Por Redação Doutíssima 12/03/2014

climatério

O climatério não é uma doença, ele refere-se aos anos de alterações hormonais vivenciados pelas mulheres antes e depois da menopausa. Nesta fase da vida ocorre a transição do período reprodutivo ou fértil para o não reprodutivo, devido à diminuição dos hormônios sexuais produzidos pelos ovários. O climatério muitas vezes é confundido com a menopausa, mas é importante saber que eles não são sinônimos. A menopausa é a última menstruação espontânea da mulher, momento em que se encerram seu ciclo menstrual e ovulatório.
A palavra climatério quer dizer fase crítica, ele nomeia um período muito conturbada na vida das mulheres, este período começa por volta dos 40 anos e estende-se até a pós-menopausa, quando a mulher não tem mais um ciclo menstrual. Suas principais características são as mudanças físicas e emocionais causadas pelo desequilíbrio na produção dos hormônios femininos pelos ovários. Os sintomas que caracterizam a entrada nesta fase do climatério são muito parecidos com os sintomas da TPM, mas eles são ainda mais marcados e prolongados.

 

Principais sintomas do climatério

 

 

climatério

Alterações urogenitais: estas alterações são causadas pela falta de estrogênio no corpo da mulher, que levam a atrofia do epitélio vaginal, tornando o tecido frágil a ponto de sangrar. Outros sintomas causados por estas alterações são o estreitamento e encurtamento da vagina, perda de elasticidade e diminuição das secreções, ocasionando secura e desconforto durante as relações sexuais. As vaginites (infecções na vagina) também são comuns neste momento, pois as alterações na flora vaginal facilitam o seu surgimento. Infecções urinárias também podem acontecer mais frequentemente.

 

Fogachos ou ondas de calor: eles provocam uma vermelhidão súbita no rosto e no tronco, acompanhados de transpiração intensa e uma forte sensação de calor em todo o corpo. Estes eventos podem acontecer em qualquer momento do dia e mesmo várias vezes, para muitas mulheres eles podem incomodar tanto a ponto de atrapalhar as suas rotinas.
Alterações de humor: um grande número de mulheres apresenta grandes alterações de humor nesta fase das duas vidas. Na maioria dos casos, trata-se de uma irritabilidade, uma intolerância aos acontecimentos banais do cotidiano e uma sensação frequente de cansaço e desânimo. Entre estes sintomas também podemos encontrar outros como: tristeza, sensação de fragilidade, choro fácil, dificuldade de concentração, insônia, grande ansiedade e depressão. Neste período, muitas mulheres queixam-se de problemas em seus relacionamentos amorosos, sociais e mesmo no trabalho.

 

Modificação da sexualidade: uma grande queda da libido (desejo sexual) acontece neste momento, entre suas causas podemos citar a diminuição da lubrificação vaginal.

 

Aumento do risco cardiovascular: o estrogênio ajuda a proteger o coração e os vasos sanguíneos, consequentemente ele evita a formação de trombos que obstruem os vasos sanguíneos, controlando os níveis do colesterol. Durante o climatério há uma grande queda do estrogênio, o que propicia o aumento do risco cardiovascular.
Osteoporose: a massa óssea diminui nas mulheres a partir da idade de 30 anos e a queda do estrogênio durante o período do climatério acentua este fenômeno. Nos primeiros anos após a menopausa, a massa óssea feminina diminui em 2,5% a cada ano para 3 ou 4 anos, e, em seguida, para 0,75% ao ano.

 

 Tratamentos sem hormônios para os sintomas do climatério

 

Muitos produtos sem hormônios são eficazes para combater as ondas de calor. A fitoterapia (que utiliza plantas medicinais) e a homeopatia são particularmente interessantes, assim como uma nova molécula, a raloxifeno, que atua na prevenção contra a osteoporose. A nutrição também desempenha um papel importante durante o perídio do climatério. Consumir bebidas mais frias, evitar consumir alimentos apimentados e quentes podem contribuir para um não aumento dos sintomas. Outras atitudes como diminuir a temperatura dos ambientes que você frequenta, parar de fumar, usar roupas mais leves e fazer atividades físicas regularmente para reduzir o peso podem contribuir para o não agravamento dos sintomas.
Entre os tratamentos alternativos, as isoflavonas, mais conhecidas como fitoestrógenos, são uma boa alternativa. Seus efeitos positivos foram observados em estudos epidemiológicos feitos com mulheres asiáticas que tinham menos sintomas do climatério do que as mulheres ocidentais. Razão dessa diferença: as populações asiáticas consomem soja em grandes quantidades. A soja é rica em isoflavonas. A ingestão de duas doses de 76 mg de isoflavonas por dia mostrou uma redução significativa das ondas de calor desde o primeiro mês de tratamento (fonte: Le Généraliste – Actualités thérapeutiques, N°2170, 25/01/02). Em todo caso, sempre procure orientação médica para buscar o tratamento mais adequado para os sintomas do climatério.
No vídeo abaixo você pode entender melhor o climatério.

 

Saiba mais:

 

Menopausa: saiba com reduzir as mudanças na voz

Menopausa não é doença

Menopausa precoce: fique alerta para os sintomas!

Terapia hormonal da menopausa

Prevenção e tratamento: aprenda a fazer exercícios contra a osteoporose

Alimentos para afastar a osteoporose

Mulheres: Saiba mais sobre a flora vaginal

 


[the_ad_group id="16349"]
[the_ad_group id="16404"]