Especialidades

Cateterismo cardíaco pode detectar e também tratar doenças

Por Redação Doutíssima 06/11/2014

O cateterismo cardíaco, também conhecido como angiografia coronária, é um procedimento realizado através da utilização de sonda ou cateter. De modo invasivo, ele identifica doenças de obstrução no coração, além de permitir a obtenção de detalhes da anatomia das válvulas cardíacas e das cavidades do órgão.

cateterismo-cardíaco

Método serve como exame e também como tratamento. Foto: iStock, Getty Images

Durante o processo, um cateter – tubo bastante fino e flexível – é introduzido na artéria do braço ou da perna do paciente, sendo conduzido até o coração. Esse cateter possibilita realizar injeções de contraste para detectar a existência de gordura nas artérias outras anormalidades cardíacas.

Geralmente, o diagnóstico é utilizado para tratamento de infarto ou angina (estreitamento das artérias que conduzem sangue ao coração). Grande parte dos pacientes que realizam o cateterismo cardíaco são encaminhados, por indicação médica, para detectar ou tratar casos específicos de problemas no coração.

O procedimento permite evidenciar obstruções arteriais no processo de irrigação da musculatura cardíaca, enxergar alterações no funcionamento das válvulas, perceber mudanças de anatomia não diagnosticadas por outros exames, ver detalhadamente malformações e, também, desobstruir artérias e válvulas.

O cateterismo possibilita a averiguação das artérias coronárias, para ver se elas estão ou não obstruídas. Também pode ser feito para verificar a pressão e o conteúdo do oxigênio sanguíneo no átrio e nos ventrículos do coração.

Como proceder antes e depois do cateterismo cardíaco

Antes de realizar o cateterismo cardíaco, o paciente deverá se informar com o médico sobre todas as etapas do processo. É necessário apresentar todos os exames já feitos e falar sobre os medicamentos que utiliza, sendo que anticoagulantes e remédios para tratamento e controle da diabetes precisam ser suspensos 5 dias antes.

Para o procedimento, a pessoa permanece em jejum por, pelo menos, 6 horas. O exame, geralmente, não causa dor e é feito com anestesia local. Em algumas pessoas, utiliza-se contraste para destacar o interior do coração e dos vasos sanguíneos no momento do raio-x.

Alguns médicos preferem realizar também uma ultrassonografia. Em média, o exame dura de 30 a 60 minutos e poucos casos resultam em complicações sérias.

Depois de terminar o procedimento de cateterismo cardíaco, o paciente precisa permanecer em repouso por 4 a 6 horas. Além disso, alguns cuidados são tomados na região onde o cateter foi inserido. Quando ele é colocado pela perna, esta deve permanecer imóvel por cerca de 6 horas para evitar hemorragia.

Quando feito pelo braço, o cateterismo requer imobilidade por, aproximadamente, 3 horas, sendo recomendáveis exercícios de abrir e fechar a mão. Dentro de 1 a 2 dias, o paciente já pode voltar à rotina. Porém não deve levantar peso ou exercer esforços físicos por, pelo menos, 1 semana.

Complicações do cateterismo cardíaco são raras

Como é um procedimento invasivo, o cateterismo cardíaco pode ocasionar alguns problemas. Poucos casos apresentaram como decorrência complicações como infarto, acidente vascular cerebral e sangramento intenso.

Quando utilizado o contraste, podem acontecer alergias e insuficiência renal. Já foram registradas ocorrências como sangramentos e infecção onde o cateter foi inserido, bem como coágulos ou baixa pressão cardíaca. Porém esses casos são pouco comuns e, geralmente, o procedimento é bastante tranquilo.

 

 


Sites parceiros