Guia da Corrida

Veja o que você precisa para praticar a corrida na praia

Por Redação Doutíssima 14/11/2014

O verão se aproxima e todos parecem querer estar em boa forma. Poucos, no entanto, querem perder os dias ensolarados dentro de uma academia de ginástica. Por isso, a corrida na praia pode ser uma solução que une o útil ao agradável.

corrida-na-praia

Use as belezas do litoral para correr e ficar em forma no verão. Foto: iStock, Getty Images

Considerando que correr é uma das atividades físicas que mais ajudam na queima de calorias e que o Brasil possui um litoral que, além de extenso, é muito bonito, a corrida na praia é uma sugestão que deveria ser considerada por todos os que vivem na costa.

Antes de aderir à relaxante – mas tonificante – corrida na praia, fique atento a alguns cuidados que precisam ser observados durante o seu treino.

Cuidados a tomar com a corrida na praia

O primeiro deles é conhecer o terreno. A areia da praia é predominantemente irregular, logo, é sempre importante certificar-se de possíveis buracos na extensão em que se vai exercitar.

Por ser menos rígido que o asfalto, o piso arenoso produz menos impacto às articulações, o que é positivo. Por outro lado, é mais propício às torções de pé, portanto, muita atenção ao correr na praia.

Via de regra, não há contraindicações para os treinos quando não há suspeita de doenças. Mesmo assim, uma consulta ao médico antes de decidir-se por dar início às atividades de corrida na praia é sempre aconselhável.

Corrida na praia exige boa alimentação

A alimentação dos que optam pela corrida na praia deve ser rica em macronutrientes (gorduras, proteínas e carboidratos), pois o gasto energético deste tipo de atividade costuma ser significativo. A hidratação do corpo é fundamental. O conselho é sempre levar água ou isotônico (que ajudam no desempenho) para os percursos.

Antes de sair para o treino, certifique-se de que veste roupas leves e que permitam a transpiração. O melhor tipo de tênis para correr na praia são os cômodos five fingers (aqueles que contêm os formatos dos dedos).

Dê preferência a treinos pela manhã, antes das 10 horas, ou no final da tardes, depois das 16 horas, quando os raios ultravioletas são mais amenos. Ainda que treine nos horários apropriados, use filtro solar – acima de fator 30 – no rosto e em todas as demais partes do corpo.

Utilize um boné para proteger a cabeça do sol e tenha à mão uma toalhinha para enxugar-se. Relaxe e encare o trajeto como uma distração e não como uma obrigação.

Inicie com treinos curtos, respeitando os seus limites. Em pouco tempo, após o período de adaptação que varia de pessoa para pessoa, conforme condições físicas e histórico de participação em esportes, e praticando o exercício por pelo menos três dias na semana, você poderá cogitar a ideia de marcar presença em competições amadoras – caminhos de no máximo cinco a 10 quilômetros.

Para tanto, o ideal é que se treine por no mínimo 12 semanas, sem haver prejuízos a ossos e juntas.

Em torno de duas horas antes da prática, o conselho é que se façam refeições leves, priorizando pães, grãos, saladas e frutas. Depois da corrida, sugere-se a ingestão de proteínas para ajudar na reparação muscular. Neste grupo de alimentos estão as carnes magras e os leites e derivados (queijos e iogurtes).


Sites parceiros