Clínica Geral

Conheça 12 doenças de verão e se mantenha longe delas

Por Redação Doutíssima 19/11/2014

A chegada do verão é festejada por muita gente, que gosta deste período do ano para descansar e aproveitar as férias. Só que as condições climáticas podem causar problemas e arruinar as férias, como as famigeradas doenças de verão.

Existem doenças que se tornam mais comuns nesta época do ano. Geralmente são aquelas que levam à perda de líquidos e à desidratação. Casos de insolação, micoses, intoxicação alimentar, dengue e leptospirose são algumas das ocorrências mais recorrentes no verão.

doenças-de-verão

Desidratação é comum no verão e precisa ser combatida de perto. Foto: iStock, Getty Images

Como o calor favorece a proliferação de bactérias, é preciso redobrar os cuidados com a higiene, tanto em questão pessoal quanto alimentar. Para aproveitar este período do ano com saúde, é importante conhecer e saber como prevenir as doenças de verão.

12 doenças de verão mais comuns

1. Desidratação

Normalmente perdemos em média 2,5 litros de água por dia. Como suamos mais no verão, essa perda aumenta consideravelmente.

Quando se ingere menos líquido do que o corpo perde, o funcionamento das células começa a falhar, gerando sintomas que vão desde secura da pele e da boca até convulsões e coma. Por isso, procure consumir em torno de 1,5 litro de líquido por dia, para evitar as doenças de verão.

2. Brotoeja

Mais comum em crianças, as brotoejas são pequenas bolhas que surgem na pele em decorrência da obstrução das glândulas sudoríparas por causa do suor, células mortas, óleos e cremes em excesso. O indicado é usar tecidos leves e roupas largas e não exagerar no uso de cremes.

3. Infecção alimentar

Podendo ser de origem viral ou bacteriana, as infecções gastrointestinais geralmente são adquiridas em praias sem saneamento básico e locais que servem comidas mal conservadas. Para evitar o problema, dê preferência para o consumo de alimentos como vegetais, carnes e peixes crus apenas em lugares confiáveis.

4. Micoses

O calor e a umidade são a combinação perfeita para a proliferação destes fungos na pele, principalmente na virilha e entre os dedos do pé, causando irritação e coceira. Uma das mais comuns doenças de verão, a micose pode ser evitada mantendo o corpo seco. Por isto, enxugue-se bem após o banho.

5. Conjuntivite

A inflamação da conjuntiva, membrana que reveste os olhos, é causada pela propagação de vírus e bactérias presente no sal do mar ou pelo cloro da piscina. Também pode ser transmitida por bactérias na água.

A irritação é acompanhada de vermelhidão, inchaço, coceira e ardência. Lavar bem as mãos antes de tocar os olhos, e evitar compartilhar pertences como óculos e toalhas, ajuda a prevenir a doença.

6. Dengue

A proliferação do mosquito transmissor da dengue costuma ocorrer em decorrência do calor e das chuvas de verão. Febre e dores no corpo são sintomas da doença, que pode ser prevenida com o uso de repelentes contra insetos e o cuidado de esvaziar recipientes com água parada.

7. Leptospirose

Causada por uma bactéria presente na urina de rato, a doença é mais comum no verão por causa dos alagamentos frequentes que facilitam o contato entre a urina e a pele. Os sintomas da leptospirose são febre, dor muscular intensa e olhos amarelados, que, se não tratado, pode evoluir para um quadro grave de insuficiência renal.

8. Bicho geográfico

No verão é comum ver os donos de cachorros os levando para a praia. Só que o hábito pode causar a transmissão deste protozoário, que está presente nas fezes dos animais, e causa uma das mais comuns doenças de verão.

Em contato com a pele humana, a larva causa lesões avermelhadas que provocam coceira e dor. A única forma de tratamento da doença é a ingestão de vermífugo.

9. Hepatite A

A contaminação pelo vírus da hepatite A é um dos principais perigos da água de praias poluídas. A doença, responsável por gerar náuseas, vômitos e deixar a pele e os olhos amarelados, pode ser prevenida com vacina.

10. Otite

A inflamação do ouvido é comum entre as pessoas que costumar nadar. Cotonetes são recomendados para secar o ouvido. Uma boa medida preventiva é fazer uso de bolinhas de silicone durante o banho de piscina ou de mar.

11. Insolação

A exposição exagerada ao sol pode provocar intensa falta de ar, dor de cabeça, náuseas e tontura, temperatura do corpo elevada, pele quente, avermelhada e seca. Para evitar o problema, além de se hidratar, é importante evitar a exposição ao sol nos horários mais quentes e usar roupas leves.

12. Câncer de pele

O tipo de câncer mais recorrente no mundo pode ser evitado com o uso diário de protetor solar meia hora antes de sair ao sol e reaplicado a cada hora. Além disto, o melhor horário para se expor ao sol é antes das 10 e depois das 15 horas.

 

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão Doutíssima!


Sites parceiros