Sexualidade

Você costuma ver pornografia? Veja impactos positivos e negativos

Por Redação Doutíssima 19/11/2014

Sexo sempre foi tabu. Desde que o homem é homem, falar sobre prazer nunca foi fácil. Há quem diga que é pecado, que Deus não gosta. Outros, por vergonha, preferem ficar calados. Há ainda aqueles que têm problemas com sua imagem e, portanto, dificuldades variadas sobre o tema. E o que falar da pornografia, então?

pornografia

Tome cuidado para não idealizar o sexo como é nos filmes. Foto: iStock, Getty Images

“Pervertido” é apenas um dos adjetivos dados aos que gostam de ver filmes, revistas e fotos que tragam conteúdos sexuais. A prática pode ser benéfica para a relação a dois, mas também prejudicial. A linha entre um e outro é tênue.

Até onde ir com a pornografia

Especialistas explicam que ver pornografia pode ajudar casais a descobrirem novas posições sexuais, algumas talvez até desconhecidas por eles. Ou ainda despertar desejo de fazer sexo em outros locais nunca imaginados.

Mas para chegar a esse ponto, o casal deve superar a barreira do preconceito. Ambos devem concordar em ver um filme com sexo explícito, por exemplo. Se um não estiver à vontade é o suficiente para a experiência não ser agradável.

Ver pornografia pode ser saudável para a relação, até porque estimula a masturbação e o conhecimento do próprio corpo e do parceiro. O problema é quando ver material sexual passa a ser vital para qualquer ato com o parceiro, ou parceira.

Quando vira compulsão, casais que enfrentam problemas conjugais podem sofrer consequências maiores ainda, inclusive a separação. Se você e seu parceiro gostam de ver pornografia, fique atenta a alguns detalhes que podem prejudicar a relação de vocês.

Principais problemas da pornografia

– Distorção da imagem

É muito comum, principalmente para os homens, comparar o tamanho do seu pênis com os dos atores de filme. Isso, no entanto, não é saudável. Primeiro porque prejudica a segurança masculina quanto à sua capacidade sexual e, segundo, porque nem sempre o que os olhos estão vendo é verdade.

Técnicas de enquadramento e iluminação podem muito bem aumentar o tamanho do pênis do ator e distorcer a realidade. Se seu parceiro costuma fazer isso, está na hora de bater um papo e até cortar a pornografia por um tempo.

– Sexo anal

É comum em filmes pornôs ver os casais fazendo sexo anal como se fosse a coisa mais simples do mundo. Não é bem assim. As mulheres têm dificuldades com a penetração anal – por causar dor, ser desconfortável e até machucar a região.

Se você e seu parceiro querem tentar, sem problema algum, desde que vocês usem gel lubrificante antes do ato, exatamente como fazem os atores – antes do ato, os atores podem até fazer uso de um plug, que provoca a dilatação do ânus para que a penetração do pênis não cause muita dor.

– O poder masculino

Se na vida real lidar com o machismo já é difícil, imagina nos filmes de pornografia. Como por vários anos a indústria pornô se manteve somente do público masculino, os produtos são direcionados para a preferência deles.

Posições, diálogos, fetiches e fantasias são pouco voltados para as mulheres. Procure discutir com seu parceiro para que vocês também olhem filmes que considerem os desejos e anseios femininos.

 

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão Doutíssima!


Sites parceiros